Situação dos times após o Draft – NFC South


NFC SOUTH

O draft passou! Jogadores foram escolhidos e junto com a free agency (FA), os times fizeram uma nova arrumação. Alguns perderam maior poder no jogo aéreo, alguns ganharam. Outros melhoraram o seu backfield e trouxeram nova vida ofensiva. Aqui vamos analisar as mudanças de depth chart que ocorreram nos times da NFC SOUTH e como isto influenciou na relevância dos jogadores para o Fantasy Football.

TAMPA BAY BUCCANEERS


Os Buccs protagonizaram uma grande evolução, em termos ofensivos no draft e na FA, este ano.  Draftaram o expoente na posição de tight end, O.J. Howard. Na FA absorveram DeSean Jackson. Parece que o time deseja ampliar a capacidade ofensiva e dar possibilidade a Winston melhorar seus resultados e quem sabe, leva-los aos playoffs.

Jogo Aéreo: A perda de Vincent Jackson, Russell Shepard e Cecil Shorts para a FA não significou demérito considerável ao jogo aéreo, pois estes jogadores não tiveram uma contribuição efetiva na última temporada, sendo responsáveis por apenas 99 recepções, os três. Não obstante, os Bucs tiveram uma das melhores mudanças ocorridas, em termos ofensivos, nos times da NFL para este ano.

 Contratando o WR DeSean Jackson (100/56 recp. , 4TD, mas com excelente média de 17,9 yd/tentativa. Para o Fantasy, teve uma média regular de Fantasy points (FP), oscilando, com metade do jogos acima de 10 FP, mas outros bem abaixo). DeSean vem de um Redskins bastante ofensivo. No último ano apresentou problemas com lesão. Isto acabou atrapalhando sua temporada, mas nos O.T.A. parece estar demonstrando a agilidade já conhecida.  


O prospecto do Draft, O.J. Howard, (tight end), chega de sua carreira do college com uma média de 15,1 jardas/recepção, 7 TD, uma boa altura (1,98 m) e grande agilidade. Promete se destacar na posição. Para o Fantasy é um bom prospecto, mas temos que esperar pra ver, TE rookies, geralmente, não apresentam grande evolução no primeiro ano.  

Além das novas aquisições, Tampa conta com o grande Mike Evans. O WR se destacou como principal arma do time tendo uma atuação impecável, na última temporada, (1321 jardas, 12 TD, no Fantasy, uma média de 13 FP/jogo) e figura hoje como Top 5 WR nos rankings de Fantasy.

 Junto com o TE Cameron Brate, este grupo promete ser bastante prolífico nesta temporada. Isto leva o QB Jameis Winston a um patamar de grande promessa como QB. Porém seu desempenho dependerá de melhorar sua atuação que, na última temporada, teve 61 % dos passes completados e 18 interceptações.

No backfield: Doug Martin enfrenta suspensão de 3 jogos no início da temporada. Em 2016 a lesão o tirou de metade da temporada. O time teve que lançar mão de outros talentos e colocou Jacquizz Rodgers que teve bom desempenho em alguns jogos de 2016. Porém não o suficiente para sobressair-se a Martin. Doug deve ter uma produtividade melhor, este ano, se mantiver-se saudável. Porém deve-se considerar que a perda de 3 jogos irá influenciar, negativamente, no seu valor de Fantasy.

Tampa tem tudo para ter uma grande temporada este ano, com grande chance de chegar aos playoffs e ter um desempenho bastante satisfatório. Apostar nestes jogadores, no Fantasy, será bastante recompensador, principalmente, Mike Evans. DeSean deve ter excelente atuação. Será uma senhora “válvula de escape” pra Winston, assim como deve ser Howard, levantando o número de opções do QB. Consequentemente o valor de Jameis Winston ganha projeção é tende a ser uma boa aposta como QB. Com o jogo corrido, porém, deve-se ter reservas. Martin fora nos 3 primeiros jogos limita muito seu valor de Fantasy e não deve ser tentado como um RB1 ou RB2, se encaixando melhor numa posição de Flex.

Valor de Fantasy

Jameis Winston: QB1 (round 6 ou 7) 

Mike Evans: WR1 (round 1) 

DeSean Jackson: WR2 (round 5) 

Doug Martin: Flex (round 8 ou 9) 

Jacquizz Rodgers: Flex (round 12) 

Charles Sims: waiver (undrafted)

Cameron Brate: Deep TE1 (round 7 ou 8)

O.J. Howard: TE2 (round 11)


CAROLINA PANTHERS

Depois de um ano excelente, em 2015, os Panthers amargaram uma grande queda de produção em 2016. Cam Newton não conseguiu manter o desempenho que o levou ao prêmio de MVP do ano anterior. O jogo aéreo teve queda importante de produção mantendo apenas Greg Olsen  como principal arma. O TE foi bastante efetivo para os Panthers em produtividade. Marcou 131 pontos na temporada com média de 8,18 pts/jogo. 

Kelvin Benjamin teve um excelente ano de Rookie em 2014. Porém perdeu o ano de 2015 todo, por conta de contusão. Nos drafts de 2016, para o Fantasy, o WR apresentava grande perspectiva de repetir o desempenho de 2014, mas não conseguiu melhorar após a lesão. Até começou a temporada bem, marcou 15.10 FP no primeiro jogo e 22,80 FP no segundo jogo, mas todo o resto da temporada marcou menos de 10 FP/ jogo, apenas na rodada 16 conseguiu fazer mais, chegando a 15 FP novamente. Mesmo se mantiver a média de 120 recepções em 2016, não criaria tanta expectativa quanto ao jogador neste ano.

Perdendo Ted Ginn Jr e Corey Brown, na off-season, o time investiu na reforma do elenco no Draft, já nos seus 2 primeiros picks. A aquisição de Christian McCaffrey e Curtis Samuel pode levar à reformulação de como o jogo ofensivo funciona.

McCaffrey é um grande play macker e tem tudo para revolucionar, tanto o Backfield, quanto o jogo aéreo. No Backfield deve suplantar o trabalho de Stewart que, mesmo com uma atuação superior a 200 carregadas no ano passado, nunca se transformou em um RB de grande prospecto.

Com grande valor de Fantasy, Christian deve estar nos rankings em alta conta e deve ser um pick precoce para os jogadores  de Fantasy.


Confiar nos Panthers como valor de Fantasy, este ano, está um pouco difícil. Cam precisa recuperar seu prestígio, precisa fazer o jogo aéreo funcionar. McCaffrey tem tudo pra sacudir as corridas, mas quanto será que as corridinhas marotas do super Cam vão permitir esse time mover o elenco? 

Valor de Fantasy

Cam Newton: QB 1 (round 7)

Kelvin Benjamin: Flex (round 6 ou 7 )

Devin Funchess: waiver

Curtis Samuel: waiver

Christian McCaffrey: RB1(round 2)

Jonathan Stewart: Flex (round 5)

Greg Olsen: TE1 (round 4) 


FALCONS

O que falar dos Falcons? Grande atuação na temporada! Mesmo o fracasso no SB LI não conseguiu ofuscar o grande valor ofensivo deste grupo. E, na última temporada, o time protagonizou o ataque mais prolífico de toda a NFL. Será que Matt Ryan concorre pela briga de MVP em 2017 também?

Tudo conspira para que o time mantenha um ataque de ponta. Devonta Freeman ainda figura como top 10 RB nos melhores rankings, apesar de ser um dos jogadores com valor de Fantasy mais subestimado. Ano passado, Freeman apresentou uma marca de 230.1FP, sua melhor semana foi a 14 contra os Niners. Quando marcou 31.50 FP. Com o handcuff, Tevin Coleman, foram responsáveis pelo Backfield  mais forte da liga. Tevin demonstrou um jogo aéreo importante e foi preponderante na redzone. Marcou 160 FP e teve uma marca muito boa de TD, foram 11 em 13 jogos, ficando fora de 3 jogos, na temporada regular, por lesão. Em 2017, o jogo corrido dos Falcons, continua prometendo ser destruidor, pois a qualidade dos dois RBs é indiscutível.

O time ainda conta com um Julio Jones que, mantendo-se saudável, tem condições de demonstrar uma produção e capacidade de jogo ainda mais considerável, neste ano. Julio fez uma boa média de FP em 14 jogos na temporada regular de 12,63 FP. É, com certeza, uma escolha de 1º round e está entre os TOP 5 WR da liga. Esperamos que ele passe a temporada sem lesão para trazer alegrias ao seu manager e competitividade às ligas do Fantasy. 

Sem perdas importantes no elenco ofensivo, os Falcons ainda tem, para o jogo aéreo, Mohamed Sanu e Taylor Gabriel. Este jogadores foram bem acionados e corresponderam às necessidades do time. Apesar de um menor valor de Fantasy, eles também dão a Ryan maior possibilidade de produção e versatilidade no ataque. Matt lançou, na temporada 2016, para 13 jogadores diferentes marcando TD e Sanu além de Gabriel participaram bem desta boa fase do QB.

Apostar em peças do ataque dos Falcons será apostar num retorno que promete ser certo. Mesmo com Kyle Shanahan, coordenador ofensivo em 2016,saindo do time para ser HC em San Francisco o talento deste ataque deve manter, seus jogadores, entre as melhores escolhas para os primeiros rounds dos drafts.

Valor de Fantasy

Matt Ryan: QB1(round 4 ou 5)

Julio Jones: WR1(round 1)

Mohamed Sanu: flex (round 7 ou 8)

Taylor Gabriel:flex (round 7 ou 8) 

Devonta Freeman: RB1(round 1) 

Tevin Coleman: RB1(round 3 ou 4) 


NEW ORLEANS SAINTS

Drew Brees há muito tempo carrega o time do Saints. Com uma defesa sempre fraca, nem as atuações impecáveis do QB conseguem leva-los adiante na competição.  Desde 2013 o time de New Orleans não consegue passar aos playoffs. E , sem duvida, isso não teve haver com Brees. Foram 5208 jardas, 70 comp%, 37 TD. Para Fantasy, uma excelente média de  20,77 FP, marcando mais de 20 pontos em 10 dos 16 jogos. Brees é um dos melhores QBs da NFL.

Jogo Aéreo: A perda de Brandin Cooks para os Patriots acarreta em perda importante. No entanto aumenta a capacidade de produção de um Michael Thomas já destacado, tanto no time, quanto na NFL. Foram 121/92 recepções, 9 TD e 1137 jardas corridas. Thomas fez um ano de rookie que lhe conferiu status de TOP 10 WR. Drafta-lo deve ser recompensador. Foram 9 jogos > 10 FP. Este ano sua atuação deve ser ainda melhor. 


Neste grupo, vamos ver um trabalho mais efetivo de Willie Snead que, associado à aquisição do rápido Ted Ginn Jr promete dar, a Drew Brees, mais armas para se manter como um dos TOP5 QBs da liga, novamente.

No Backfield: Tim Hightower dá adeus e se junta ao ataque dos Niners. Na off-season a grande aquisição foi Adrian Peterson. Este evento significa, para os Saints, ótima contratação, mas para as ligas de fantasy não. Além de vir de um histórico de lesão que lhe encaminhou para a IR, o jogador chega para esta temporada com reservas físicas, será que se recuperou totalmente?Além disso, não irá liderar o jogo corrido, o RB principal é Mark Ingram e continuará sendo. Ainda com Tim na equipe, Ingram foi “convidado”, pelo seu técnico a se sobressair e foi o que fez. 

Após um Fumble no meio de um jogo de 2016,  Mark foi colocado no banco. Desafiado voltou para uma atuação impressionante de 29.10 FP contra os 49’eres no jogo 8 da regular. Ingram, apesar disso, não manteve as melhores médias o resto da temporada. Com relação ao jogo corrido, um fator importante a se considerar é que, provavelmente, irá ocorrer uma grande diluição de snaps entre os Running Backs que ainda terão o novo Alvin Kamara neste mix ” comendo”  alguns snaps. Com estes fatos, o valor de Fantasy do RB1 do time não fica maior que uma posição de flex.

Em New Orleans, as melhores apostas serão Michael Thomas e Drew Brees. Você pode ter boa experiência com os outros WR, afinal, Brees garante maior confiança neste jogo aéreo e Senead pode se destacar. Mas, com relação aos running backs, não acho  recomendável escolhê-los no início do draft. Ingram tem sido bem instável na sua produtividade de Fantasy e a divisão dos snaps deve diminuir a possibilidade de pontos. 

Valor de Fantasy:

Drew Brees: QB1 (round 4) 

Michael Thomas: WR1( round 1) 

Willie Snead: Flex (round 6)

Ted Ginn Jr: Flex (round 6)

Mark Ingram: Flex (round 5)

Adrian Peterson: Flex (round 8)

Alvin Kamara: waiver

Coby Fleener: TE2 (round 10) 

 

 

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.