Preview da Semana 2

em

A Semana 1 ficou para trás e, apesar de ter matado a saudade de todos os fãs de futebol americano, ela aterrorizou o final de semana daqueles que curtem fantasy, principalmente quem teve a “sorte” de escolher David Johnson com a primeira escolha do draft.

Escolhas de 1º round como Le’Veon Bell, A.J. Green e Julio Jones, não tiveram a performance esperada e podem ter lhe custado uma semana. Mas, não adianta chorar o leite derramado, ou melhor, o passe dropado. Vamos analisar individualmente as partidas da Semana 2.

O texto abaixo é uma tradução/resumo/adaptação do trabalho de Rich Hribar, do Rotoworld.

BILLS VS PANTHERS

Embed from Getty Images

Christian McCaffrey esteve em campo em 47 snaps, mais que Jonathan Stewart, com 29, mas o novato não teve mais ação. O veterano teve 20 toques na bola, enquanto o garoto, 18. McCaffrey, contudo, foi alvo de 28% dos passes do time e deve ter maior papel no ataque gradualmente. Com LeSean McCoy ninguém precisa se preocupar.

Kelvin Benjamin foi alvo de apenas cinco passes na Semana 1 e o cenário pode se repetir aqui, principalmente de os Panthers dominarem a partida como é esperado e abusarem do jogo corrido – o que também dificultaria o trabalho de Greg Olsen.

Pelos Bills, a melhor opção aérea é o TE Charles Clay – Carolina costuma ceder pontos para jogadores dessa posição. Ele e McCoy são as maiores armas de Buffalo, deixando menos oportunidades para Jordan Matthews e Zay Jones.

BEARS VS BUCCANEERS

Embed from Getty Images

Com a suspensão de Doug Martin, é Jacquizz Rodgers quem lidera o backfield de Tampa Bay. Ele teve pelo menos 17 toques nos cinco jogos como titular no ano passado e marcou no mínimo 10 pontos em quatro deles. Jordan Howard ainda deve carregar o piano em Chicago, mas Tarik Cohen surgiu no final de semana como uma grande opção no jogo aéreo. Ele foi acionado em 52,4% de suas rotas.

Cohen tem grande oportunidade principalmente pelo momento dos Bears na posição de WR – já perderam Cameron Meredith e Kevin White por lesão. Falando em WR, nenhum é confiável aqui. Os receivers de Chicago foram alvos de apenas 35% dos passes do time.

Embed from Getty Images

Apesar de não contar com nomes importantes na secundária, Chicago não costuma dar muitos pontos aos WR1 adversários – vimos Julio Jones com menos de 70 na última semana. Mike Evans teve 66 no último encontro entre as equipes. Isso pode significar mais oportunidade para DeSean Jackson.

VIKINGS VS STEELERS

Com 47 jardas de scrimmage (terrestres e aéreas), Le’Veon Bell teve seu pior jogo na carreira – marca anterior era de 51 –, mas não há nada para se preocupar aqui. Dalvin Cook teve uma estreia de gala com 127 jardas, mas teve apenas três recepções e esse número pode aumentar.

Embed from Getty Images

Antonio Brown conquistou mais de 60% das jardas totais dos Steelers no final de semana. Ele deve segue seguido por Xavier Rhodes durante a partida, o que abrirá mais espaço para Martavis Bryant, pouco acionado no último domingo. Pelos Vikings, Steffon Diggs e Adam Thielen devem ter menor produção, visto que enfrentam uma defesa mais preparada.

Apesar da atuação de destaque na Semana 1, o TE Jesse James não é um alvo consistente e depende dos TD para ter boa pontuação. Kyle Rudolph, por sua vez, é alguém pode ter bons números, principalmente com a dupla de WR de Minnesota melhor marcada.

CARDINALS VS COLTS

Embed from Getty Images

Sem David Johnson, o backfield de Arizona se torna uma grande incógnita, mas a aposta em Kerwynn Williams é a mais segura. Andre Ellington foi quem teve mais snaps após a lesão de Johnson, mas é uma melhor opção em PPR. Pelo ar, Larry Fizgerald e John Brown devem ter um bom final de semana contra uma secundária fraca dos Colts.

Em Indiannapolis, é difícil confiar em qualquer um sem Andrew Luck. Mesmo T.Y. Hilton, que ficou no Top 30 da posição em apenas três das 11 vezes em que jogou sem seu QB titular.

PATRIOS VS SAINTS

O backfield dos Patriots é um para se evitar. James White teve a maior quantidade de snaps na estreia (47), mas tocou na bola menos vezes (13) que Mike Gillislee (15), que esteve em campo em 24 snaps. Gillislee ainda ficou com a maior parte do trabalho na redzone. Rex Burkhead e Dion Lewis também participaram e, dessa forma, New England conta com um comitê que será difícil de decifrar a cada semana.

Embed from Getty Images

A situação é semelhante em New Orleans. O novato Alvin Kamara liderou em snaps com 31, Mark Ingram jogou em 26 e Adrian Peterson veio em terceiro com apenas 9 – o que valeu um olhar mortal a Sean Peyton. Aqui é mais fácil confiar em quem teve maior volume, mas essa participação pode ser volátil a cada semana.

Embed from Getty Images

Tom Brady e Drew Brees decepcionaram na primeira semana, mas não há nada para se preocupar aqui. QBs de elite, eles devem voltar à forma o mais rápido possível, o que deixa tranquilo também quem conta com Rob Gronkowski, Cris Hogan, Michael Thomas e Ted Ginn Jr.

BROWNS VS RAVENS

Embed from Getty Images

Baltimore se comprometeu ao jogo corrido como não fazia há alguns anos. Joe Flacco teve apenas 17 tentativas de passe – eram 42 por jogo no ano passado. Terrance West teve toques (corridas/recepções) em 70% dos snaps da partida. A equipe perdeu Danny Woodhead, mas Javorius “Buck” Allen surgiu como uma das melhores opções nos waivers e deve assumir esse papel no jogo aéreo, com maior upside no jogo corrido.

Com uma atuação ruim na Semana 1 – 33 jardas em 17 corridas –, Isaiah Crowell deve ter mais uma vez um desempenho decepcionante, visto que enfrenta uma boa defesa contra o jogo terrestre.

Pelo ar em Cleveland, Corey Coleman mostrou que é a primeira opção, mas deve ter um desempenho inconsistente durante a temporada – o famoso boom or bust, o 8 ou 80 em bom português. Kenny Britt foi alvo de apenas nove passes e aparece como número 2 no time. Pelos Ravens, preocupa o volume dos passes para Jeremy Maclin e Mike Wallace. Se a equipe de fato se inclinar tanto para a parte terrestre do jogo, os dois devem ter poucas oportunidades.

EAGLES VS CHIEFS

Embed from Getty Images

Depois de um ótimo desempenho na Semana 1, Kareem Hunt e Tyreek Hill seguem como boas armas para este final de semana. Mesmo Alex Smith pode ser o seu QB se você não conta por exemplo com Andrew Luck. Travis Kelce, contudo, pode ter um jogo difícil. Nas duas últimas temporadas, os Eagles permitiram mais de 5 recepções por um TE apenas três vezes.

Por outro lado, Zach Ertz, TE de Philadelphia é alguém que pode se confiar. Contando ainda com o ano passado, nas últimas 10 partidas ele tem média de 17 pontos no fantasy por jogo – são 7,1 recepções e 75,9 jardas. Alshon Jeffery e Nelson Agholor

Apesar de ter demostrado evolução contra os Redskins, Carson Wentz não é um bom nome aqui. Nas duas últimas temporadas, apenas quatro vezes um QB terminou no Top 12 contra Kansas City. No jogo corrido, LeGarrette Blount teve apenas 46 jardas em 14 tentativas, o que preocupa um pouco.

TITANS VS JAGUARS

Embed from Getty Images

Apesar de contar com Derrick Henry como reserva, Demarco Murray ainda carrega o piano em Tennessee. Foram 42 snaps do veterano contra apenas 18 do companheiro. Em Jacksonville, Leonard Fournette teve boa estreia e participou de 58% das jogadas da equipe. Mesmo contra boxes lotados, os Jaguars correram a bola em 65% dos snaps e devem seguir comprometidos com o jogo terrestre.

Embed from Getty Images

Dessa forma, Marquise Lee e Allen Hurns devem ter poucas oportunidades – combinados, foram alvos de oito passes –, mas ainda podem ser boas opções para a posição de FLEX.

Embed from Getty Images

Fora de casa e contra uma boa defesa, Marcus Mariota deve encontrar dificuldades, o que vai prejudicar o jogo de Corey Davis e Rishard Matthews. Quem pode se apresentar então é Delanie Walker, que teve bons números nas quatro últimas partidas contra os Jaguars.

JETS VS RAIDERS

Embed from Getty Images

Derek Carr, Marshawn Lynch, Amari Cooper, Michael Crabtree e até mesmo Jared Cook. O poderoso ataque de Oakland não deve ter problemas para colocar pontos no placar contra os Jets e fazer a festa dos owners que contam com alguns desses nomes em seu ataque.

Em New York, no entanto, é mais difícil achar opções. No jogo corrido, Matt Forte e Bilal Powell dividiram os snaps, 35 a 30, respectivamente. Nenhum dos dois deve valer um espaço no seu line-up. Pelo ar, Jermaine Kearse e Robby Anderson são as armas dos Jets, mas sem muito poder de fogo.

DOLPHINS VS CHARGERS

A tendência é um jogo muito produtivo para Melvin Gordon. O back de Los Angeles teve 23 toques na Semana 1 e média de 24.9 nos últimos 11 jogos. A defesa de Miami permitiu pelos menos 100 jardas terrestres nas sete últimas partidas, maior sequência negativa nesse quesito. Pelos Dolphins, Jay Ajayi deve ter volume para conseguir boa pontuação. A defesa de LA permitiu 128 jardas de scrimmage para o backfield de Denver na primeira semana.

Embed from Getty Images

Keenan Allen foi alvo de 30,3% dos passes no ataque dos Chargers e deve ser um grande nome neste domingo contra o uma defesa inferior à dos Broncos. Hunter Henry e Antonio Gates, contudo, decepcionaram na estreia com uma atuação praticamente nula e precisam provar que valem um espaço no line-up. Tyrell Williams é um bom nome, já que a defesa de Miami costuma ceder jardas para alvos verticais.

Embed from Getty Images

Alinhado por fora, DeVante Parker, que fez sucesso durante a pré-temporada, deve ter dificuldades contra os corners de Los Angeles. Pelo interior, Jarvis Landry deve ser o alvo favorito de Jay Cutler neste confronto. Julius Thomas também é uma boa opção de streaming em uma partida que gera bons matchups contra os linebackers.

COWBOYS VS BRONCOS

Dak Prescott é alguém difícil de ler nessa partida. Nos últimos 13 jogos, ele sempre anota 17 ou mais pontos, mas nesse mesmo período, a defesa dos Broncos permitiu 17 ou mais pontos a um QB apenas três vezes. Dez Bryant também não costuma se sobressair contra defesas Top-10, com média de 3,5 recepções de apenas 47,8 jardas em 23 confrontos. Jason Whiten deve ser bem aproveitado pelo matchup, mas Terrance Williams e Cole Beasley não devem números altos.

Embed from Getty Images

Ezekiel Elliott, por sua vez, é alguém em quem se confiar e tem muito volume – foram 29 toques no último jogo. Além disso, com uma boa secundária, Denver força os adversários a jogar pelo chão. O backfield dos Broncos é mais complexo. C.J. Anderson teve mais snaps (48) e toques (21) do que Jamaal Charles (21/10) e deve continuar como mais trabalho do que o companheiro. Anderson é a melhor opção, mas vai precisar de um TD para conseguir bons pontos.

Embed from Getty Images

Pelo ar, os Broncos contam principalmente com Demaryius Thomas e Emmanuel Sanders. Na primeira semana foi Bennie Fowler quem achou a endzone, mas a tendência é que os dois WR principais sejam mais acionados.

49ERS VS SEAHAWKS

Quando atua em Seattle, Doug Baldwin tem ótima média de 20 pontos por partida em 2016, foram sete jogos com 14 ou mais. Russell Wilson, obviamente, também tem bons números como mandante – média 19,9 pontos por jogo. Jimmy Graham teve uma péssima estreia na temporada, mas deve se aproveitar bem da ausência do LB Reuben Foster para explorar a defesa adversária.

Embed from Getty Images

No backfield, foi Chris Carson quem liderou com 27 toques na Semana 1, seguido por C.J. Prosise com 15 e Eddie Lacy, apenas sete. Agora, contudo, a equipe conta com o retorno de Thomas Rawls, que deve ser utilizado como RB1.

Por San Francisco, apenas dois nomes se destacam de forma confiável. Carlos Hyde teve 77 jardas de scrimmage na primeira semana e teve seis recepções, trazendo ao seu jogo uma dimensão que não existia antes. Pierre Garçon anotou seis recepções em 10 passes e 81 jardas, sendo um nome sólido semanalmente, principalmente em PPR. Nesta partida específica, no entanto, ele deve ter vida difícil diante da secundária de Seattle.

REDSKINS VS RAMS

Os Redskins decepcionaram em casa contra os rivais Eagles, e Kirk Cousins, em seu segundo ano de franchise tag, não disse a que veio. Contra a defesa de Wade Philips, as chances de sofrer novamente 4 sacks ou mais é grande. Terrelle Pryor e Jordan Reed, os principais alvos de Cousins, terão trabalho para criar separação, bem como Rob Kelley para achar gaps para correr, com uma linha ofensiva que permitiu oito hits sobre seu QB.

Embed from Getty Images

Do outro lado, Jared Goff vem do melhor jogo de sua vida, ultrapassando as 300 jardas passadas. Porém a tarefa é mais difícil quando se tem um cornerback como Josh Norman marcando seu principal recebedor, que deve ser Sammy Watkins.

Por falar nele, suas 5 recepções para 58 jardas decepcionaram quem esperava mais do recém-adquirido WR vindo dos Bills. Desempenho semelhante a Todd Gurley, que só correu para 40 jardas, mas conseguiu um TD contra a fraca defesa dos Colts. Já o calouro Cooper Kupp alcançou 76 jardas em 4 recepções e promete ser um dos principais alvos de Goff no resto da temporada.

PACKERS VS FALCONS

Novo estádio, confronto antigo: a última final de conferência se repete na temporada regular entre os Packers, que não sofreu TDs de Seattle na semana 1, e os Falcons, que passaram aperto na estreia contra os Bears.

Embed from Getty Images

Aaron Rodgers demorou para encontrar a endzone na vitória contra Seattle. Apenas no final do terceiro quarto de jogo, Jordy Nelson recebeu um passe para TD. Nelson será alvo certo nestas situações em qualquer jogo. Já Ty Montgomery, em sua primeira temporada como RB desde o início, também anotou TD numa corrida, mostrando que tem potencial para evoluir na posição. Seis jogadores diferentes receberam passes de Rodgers; cinco deles ganharam mais de 30 jardas.

Os Falcons não correram contra os Bears. Devonta Freeman e Tevin Coleman somaram pífias 53 jardas terrestres. Ainda assim Matt Ryan (321yd, TD), Austin Hooper (2 recepções, 128yd, TD) e Matt Bryant (9 pts, 3/3 FG, 2/2 XP) foram eficientes na hora decisiva. O jogo aéreo será a tônica novamente, uma vez que os Packers seguem sendo eficientes na defesa contra as corridas. Rodgers também é promessa de batalha aérea.

LIONS VS GIANTS

Fechando a rodada, vemos o ataque anêmico dos Giants contra os embalados (há algum tempo) Lions e suas vitórias no último quarto.

Eli Manning deixou mais uma interceptação em suas estatísticas contra uma defesa bem postada dos Cowboys, que só permitiu 3 míseros pontos. Odell Beckham faz falta, e segue como dúvida para a escalação na semana 2. O segundanista Roger Lewis foi o melhor recebedor dos Giants na partida, com apenas 54 jardas em 4 recepções, seguido por um running back, Shane Vereen. Por falar em RBs, o que mais “correu” pelo lado de Nova York foi Paul Perkins, com 16 jardas. Sem comentários. Assim não se deve esperar muito do time exceto se a defesa produzir pontos em turnovers.

Embed from Getty Images

Do outro lado do confronto, os Lions mostraram força defensiva e ofensiva (além de contar com muitos erros de Carson Palmer, que mais uma vez demonstrou plena decadência) para vencer e se mostrar como uma das forças a brigar pela NFC North.

Quem acompanhou a pré-temporada não se surpreendeu com a grande atuação do WR Kenny Golladay, que recebeu 4 passes para 69 jardas e 2TD (Megatron quem?). o calouro vem demonstrando sua habilidade e tem tudo para repetir boas atuações. Exceto se for marcado por Janoris Jenkins, o grande CB dos Giants e um dos melhores da liga.

Matthew Stafford justificou o contrato renovado com 292 jardas, 4 TDs e 1 INT. Deve ter boa atuação com seu bom conjunto de recebedores, que incluir Golden Tate (107 jardas em 10 passes contra os Cardinals).

Fonte: http://www.rotoworld.com/articles/nfl/74349/478/the-nfl-week-2-worksheet?pg=3

*Com a colaboração de Rui Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.