Retrospectiva 2017: Desempenho Mensal – NFC West

Fala pessoal! Esta é uma série de recortes mensais (Setembro-Dezembro) do desempenho dos jogadores dos times da NFL. Cada post trará uma divisão, começando por a que menos venceu jogos (AFC  South) até chegar a que mais venceu (NFC South). Vem com a gente e boa leitura!

Observações: estabelecemos um ponto de corte para os jogadores que marcaram, ao menos, 30 pontos totais (ligas padrão). Além disso, nossa análise vai até a Semana 16 da temporada regular!

Los Angeles Rams

LAR

Podemos dizer que aqui estão alguns dos membros das bases mais fortes vistas pelos times de Fantasy em 2017. A começar pelo incrível Todd Gurley, que começou forte, diminuiu um pouco o ritmo, mas surpreendeu com dois desempenhos absurdos nas semanas 15 e 16 em Dezembro (e está na nossa listinha de mais consistentes: 3/5). Jared Goff tem parte no sucesso do RB, com passes para TD, fora o ótimo ano, para alguém que sofreu como calouro em 2016. Robert Woods e Sammy Watkins vieram de Buffalo para serem felizes e foram: melhor para Woods, que se entendeu melhor com Goff e vinha na ascendente antes de uma lesão no ombro. O calouro Cooper Kupp também evoluiu bem na temporada. Por fim, até o kicker rendeu frutos: Greg “The Leg” Zuerlein fazia um ano excepcional até se lesionar em Dezembro. Campeões da NFC West com mérito.

Seattle Seahawks

SEA

Ainda brigando pelos playoffs, os Seahawks são um curioso caso em que seu QB (Russell Wilson) é um gênio das situações adversas com um jogo corrido igual ou pior ao de Detroit (insisto: aquele time não sabe o que é correr, meu Deus!). Então os Hawks só lutaram pelo wild card porque seu comandante no ataque foi eficaz a ponto de ser o maior pontuador do fantasy (ligas padrão) entre as semanas 1-16 de 2017, e membro daquele nosso All-Star de consistência (não perca a conta; já foram 4). Destaque para Doug Baldwin, a principal válvula de escape de Wilson desde sei lá quando, mantendo-se num patamar razoável ao longo dos meses, e Jimmy Graham, que fez o playoff push de muita gente ser mais fácil, mas sumiu em Dezembro. Por fim, Mike Davis chegou depois, mas deixou um certo impacto na reta final do Fantasy. Pode ser que ele (ou Chris Carson, a saber) venha a liderar este baleado backfield em 2018.

Arizona Cardinals

ARI

Se falamos obviedades sobre New England, por que não aqui também? Só que em outro sentido: David Johnson fez falta, Carson Palmer também (mas não tanto quanto). O time não correu muito bem, e quando andou pelo ar foi com o mito/lenda/monstro/espetáculo Larry Fitzgerald (só faltou média alta pra coroar mais um bom ano). Adrian Peterson, Kerwynn Williams, Chris Johnson… nenhum destes foi a resposta para a ausência de DJ. Melhor sorte em 2018. Em Novembro (apenas), Ricky Seals-Jones se mostrou um bom substituto para Jermaine Gresham (quando o time parar de insistir nele).

San Francisco 49ers

SFO

Anota a placa de Jimmy G que ele chegou atropelando! A amostra é pequena, mas ele bateu a melhor defesa do ano (“Sacksonville” Jaguars), fora a sequência invicto desde que chegou! Carlos Hyde deixou uma galera na mão neste ano, sobretudo em Novembro, época crítica! Marquise Goodwin adorou seu novo QB e viu sua produção aumentar constantemente (resultados discretos, porém). Ano que vem teremos Pierre Garcon a disposição de Garoppolo, e aí os lados do campo serão um problema para as secundárias adversárias!

Dúvidas? Sugestões? Chama o BrFFootball no Twitter!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.