Retrospectiva 2017: Participação Ofensiva – NFC North

Olá amigos e amigas! Começamos uma nova série na retrospectiva 2017, desta vez analisando a participação ofensiva (percentuais de carregadas, jardas e TDs terrestres, recepções, jardas e TDs aéreos) de cada time, apresentando as divisões na mesma ordem que os Recortes Mensais.

Obs.: são apresentados os jogadores que tiveram qualquer participação (carregada ou recepção) pelo time na temporada 2017-18, nas semanas 1-16.

Obs. 2: nem sempre a soma resultará em exatos 100%, por força de aproximação.

Minnesota Vikings

MIN

Não era esperado que Latavius Murray tivesse um papel tão proeminente no jogo corrido de Minnesota, mas a lesão de Dalvin Cook abriu caminho para isso e ele dominou os quesitos aqui. Jerick McKinnon tem talento, mas foi mais “arma ofensiva” que “running back de ofício”.

No jogo aéreo, Case Keenum serviu a vários colegas, com destaque para Adam Thielen, líder em recepções e jardas, ficando atrás de Kyle Rudolph e Stefon Diggs em TDs.

Ausências notórias / Não fez falta: Dalvin Cook. Por um lado, o time poderia fazer ainda mais estrago, ao mesmo tempo em que se virou bem sem o talentoso calouro que tem tudo para fazer uma temporada 2018 memorável se o joelho estiver em dia.

Detroit Lions

DET

O “time que não sabe correr” (apelido carinhoso que eu dou aos rivais de divisão) só poderia fazer algo pelo chão por meio de seu titular, Ameer Abdullah, que liderou sozinho em tudo, exceto TDs (junto a Theo Riddick, seu reserva imediato). Menção honrosa a Tion Green que apareceu no fim da temporada e pode surpreender no depth chart em 2018.

Com relação aos alvos de Matthew Stafford, Golden Tate (recepções) e Marvin Jones (jardas e TDs) foram os principais recebedores. Eric Ebron foi outro destaque tardio do time.

PS.: Detroit foi o time que menos correu e tentou correr com a bola no nosso escopo de avaliação. Anotem isso para o próximo draft do seu fantasy.

Green Bay Packers

GNB

(Por que pego no pé de Detroit? Porque é rival de divisão do meu Packers, e o bom guerreiro estuda os adversários mais próximos.)

Finalmente os Packers entenderam que não só de Rodgers se vive na NFL e começou a correr mais e melhor (embora não possamos dizer que correu muito; pelo contrário). Nessa seara, os calouros draftados vieram a campo, com Jamaal Williams liderando em tudo, seguido por Aaron Jones (co-líder em TDs).

No jogo aéreo, Davante Adams liderou o setor com E SEM Rodgers. Jordy Nelson teve menos recepções e jardas que Randall Cobb! Nada como ser um perigo constante (o problema é quando os recebedores são treinados para pegar qualquer coisa que venha de “Arão da Massa”).

Não fez/fará falta: Ty Montgomery. Não dá pra viver de RB improvisado (mesmo que tenha sido de ofício no college. Desabafo feito; vamos pra frente).

Chicago Bears

CHI

Jordan Howard parecia que seria vítima do sophomore slump (queda abrupta de produção de um segundanista), mas não passou de um começo lento. Ele comandou o backfield dos Bears sem ameaças, tendo Tarik Cohen (que também faz as vezes de retornador) como colega “mais próximo”.

O jogo aéreo ainda está se estabilizando com a chegada de Mitchell Trubisky; assim Kendall Wright (ex-Titans) liderou o time em recepções e jardas, enquanto Adam Shaheen foi quem teve mais TDs (substituindo Zach Miller, que deveria ser o líder aqui não fosse a seríssima lesão no joelho).

Dúvidas? Sugestões? Chama o BrFFootball no Twitter!

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.