Índice de Consistência BrFF – 2017 – Resultados, Análise e Curiosidades

Embed from Getty Images

Sempre que alguém se refere a algum aspecto do Fantasy Football – Pontuações, Draft, Tipo de Liga, etc. – uma pergunta sempre surge: “Como eu posso aumentar minhas chances de vencer minha liga?”.

Bom, não existe receita de bolo para vencer uma liga de FF – alguns Managers contam com a sorte, outros com planejamento minucioso, outros sequer mexem no time titular.

Nosso papel aqui é apresentar um indicador (entre muitos que já existem no mercado) que pode lhe ajudar a solidificar ainda mais sua estratégia de Draft. Afinal, o quão importante é saber a consistência de algum atleta no Fantasy Football?

Eu sou daqueles jogadores que tentam neutralizar o fator sorte ao máximo – afinal de contas, o acaso existe e faz grande diferença, especialmente no que diz respeito a esportes.

Voltando uma casinha no tabuleiro, falava do indicador que iremos trazer aqui – o já conhecido e maravilhoso Índice de Consistência. Se trata de um indicador criado pela galera do Brasil Fantasy Football, e que busca determinar, por níveis, o nível de consistência de cada jogador na sua performance no Fantasy Football. Nesse link aqui você irá entender um pouco mais dessa fórmula!

Basicamente, para você que não tem tempo ou não quer se aprofundar mais na fórmula, o Índice de Consistência pondera as pontuações gerais, a proximidade entre quartis e mediana e o desvio padrão dentre as pontuações dos atletas na temporada – chegando assim em um valor de 0 a 100.

Como um entusiasta da análise de estatísticas (e veja bem, NÃO SOU E JAMAIS SEREI ESPECIALISTA EM ESTATÍSTICA, apenas um mero apreciador e entusiasta), tentarei ajudar você a perceber quem foi consistente a ponto de lhe dar uma pontuação sólida durante a maioria da temporada de Fantasy Football, e também aquele jogador que terá altos e baixos extremamente discrepantes – e aí entra o já referido acaso, que pode ganhar ou perder partidas pra você durante o ano.

Desta forma, e baseado unicamente no Índice de Consistência, analisaremos o desempenho dos melhores pontuadores de cada posição da Temporada 2017.

DISCLAIMER – Se você é daquelas pessoas que não dá a mínima para estatísticas (afinal, Fantasy pra você é apenas pura sorte), ou não tem a mínima paciência para este tipo de leitura, feche a página aqui e relaxe. Se não, prossiga na sua barra de rolagem e aprecie (ou tente!) a nossa análise.

Você segue aqui? Que maravilha!

Sem mais delongas, vamos à análise posição por posição dos nossos gráficos do Índice de Consistência – Edição Temporada 2017.

Esclarecendo: foram classificados 25 jogadores nas posições QB, TE e K, e 50 jogadores nas posições de RB e WR.

Quarterbacks

IC-QBs-2017

Começamos, é claro, pela posição mais importante em um campo de Futebol Americano (mas não necessariamente no Fantasy Football: o Quarterback.

Aqui encontramos o jogador mais consistente da Temporada 2017, o lendário Drew Brees. O QB do New Orleans Saints foi o único jogador a alcançar índice no valor superior a 83 – o Hall of Famer alcançou a nota máxima, 17 pontos à frente do segundo colocado no geral, o também veterano QB Matt Ryan.

A bem da verdade, no ranking geral do Índice de Consistência, seis jogadores desta posição aparecem no Top 10: Drew Brees, Matt Ryan, Matthew Stafford, Carson Wentz, Philip Rivers e Marcus Mariota, respectivamente.

Algo a se ressaltar de imediato – os índices dos QBs, na média, são bem mais alto que o restante das posições, fora os Kickers. Os nove QBs mais ranqueados tiveram nota igual ou superior a 50, ou seja, pontuação bastante elevada para a média dos qualificados para a avaliação.

Curiosidades da posição de QB:

  • Deshaun Watson, o QB mais explosivo do ano passado, foi o jogador qualificado menos consistente no nosso ranking – atingindo 20 pontos no Índice. Ainda que ele tenha atingido pontuações na casa de 35.5, 33.7 e 32.8, era humanamente impossível manter este nível de atuação – Watson estava em ritmo, até sua lesão, de atingir mais de 5000 jardas aéreas e 58 TDs;
  • Dak Prescott, o QB1 do Fantasy Football até a metade da temporada passada, atingiu 28 pontos no ranking, muito por conta da sua segunda metade de temporada – onde foi o QB34. Nos últimos oito jogos, obteve pontuação média de 12.81 (o que não é nada mau), enquanto que durante a primeira metade da temporada teve média de 20.78 pontos por jogo;
  • Drew Brees, apesar de não ter atingido pontuações semelhantes às das suas temporadas mais produtivas, foi absurdamente seguro. Entregou aos GMs uma média por jogo de 16.56 pontos, ainda que o enfoque do ataque do New Orleans Saints tenha se direcionado mais ao jogo terrestre do que o habitual ataque aéreo;
  • Carson Wentz jogou no ano passado em nível de MVP, tanto na vida real quanto no Fantasy Football. Nos 13 jogos em que atuou, apresentou média de 21.67 pontos por jogo – atingindo um Índice de Consistência de 75! Seu jogo corrido, além da precisão nos passes, eram dignos de QB1, e sua lesão interrompeu uma possível temporada histórica no Fantasy Football;
  • Matt Ryan desapontou os GMs que investiram no ex-MVP em Redrafts – embora tenha atingido consistência muito alta para nosso ranking (82). Ryan teve média de redondos 14 pontos, atingindo a posição de QB15 – ou seja, um mediano extremamente consistente;
  • Tom Brady, talvez o maior jogador da história da NFL, surpreendentemente, atingiu o ponto médio do Índice de Consistência do BrFF – 50. Apesar de ter se qualificado como o QB5 de 2017, Brady não demonstrou ser consistente a ponto de ser uma opção sólida semana a semana. Enquanto que na primeira metade da temporada, TB12 manteve média de 20.35 pontos por jogo, na segunda metade da temporada teve média de 16.83 pontos por jogo. Nos Playoffs do Fantasy Football (semanas 14 a 16), teve uma média pífia de 13.53, que nada tem a a ver com sua posição geral de pontos anotados.

Running Backs

IC-RBs-2017

Vem temporada e vai temporada, e algumas coisas seguem certas na vida: impostos, a morte, e Frank Gore. Neste caso, não só jogando, como sendo o Running Back mais consistente da temporada 2017 – e com uma distância considerável em relação aos outros concorrentes. É claro, Gore não foi o mais produtivo – produziu apenas 133,5 pontos no total da temporada – mas manteve uma produção suficiente para classifica-lo como RB2 em quase todos os jogos da temporada.

Le’Veon Bell, Todd Gurley, Leonard Fournette e Melvin Gordon estão entre os 12 mais consistentes – o que atesta a sua eficiência agregada ao tão famigerado volume (para Running Backs, a quantidade de “toques” que dão na bola – normalmente, corridas). Muitos RBs se mantiveram na faixa entre 20 e 32 do Índice de Consistência do BrFF, incluindo nomes fortes como Ezekiel Elliott, Jordan Howard, Devonta Freeman, LeSean McCoy, Mark Ingram e outros.

Curiosidades da posição de RB:

  • Duke Johnson teve um dos Índices de Consistência mais altos da temporada passada – algo que impressiona para um RB que tem quase toda sua produção por meio de recepções. Para se ter uma ideia, Johnson ficou bem à frente de nomes famosos e que também receberam muitos passes: Christian McCaffrey, Alvin Kamara, Tevin Coleman e Theo Riddick;
  • Um dos nomes mais falados desta pré-temporada, Kenyan Drake, foi um dos menos consistentes em 2017. Isso pode ser atribuído ao seu pouco uso até a segunda metade da temporada. Drake é candidato a boa produtividade em 2018, pela sua capacidade de fazer jogadas explosivas e habilidade na recepção de passes;
  • Os três RBs de Green Bay estão colocados entre os cinco últimos do Índice de Consistência! Aaron Jones foi o RB qualificado com a menor consistência, mas Jamaal Williams e Ty Montgomery não ficaram muito à sua frente. 2018 deve trazer um pouco mais de clareza a este backfield, embora ninguém esteja à frente do Depth Chart até o presente momento;
  • Já os três RBs de New England tiveram consistência bem melhor: James White e Dion Lewis estão entre os 20 RBs mais consistentes, e Rex Burkhead não ficou muito atrás em nível de pontuação. Embora não houvesse nenhum Running Back à frente do Depth Chart, o uso consistente da posição no ataque dos Patriots trazia consistência considerável na pontuação da posição;
  • A dupla explosiva de New Orleans também se demonstrou relativamente consistente: Alvin Kamara foi o 13º RB mais consistente, enquanto que Mark Ingram foi o 17º. O Gameplan dos Saints certamente ajudou muito nestas performances, já que ambos os Running Backs eram frequentemente utilizados no ataque, em volume bastante parecido.

Wide Receivers

IC-WRs-2017

O resultado do Ranking dos Wide Receivers não é nada surpreendente – DeAndre Hopkins foi o WR mais consistente e também o que mais recebeu targets em 2017 (174, apenas inferior ao ano de 2015, quando teve 192). Como já dissemos antes, volume é chave para uma boa pontuação no Fantasy Football, e Nuk é o exemplo mais claro disso.

Alguns outros qualificados são bem surpreendentes também: DeSean Jackson, Josh Doctson e Mohamed Sanu foram WRs dos mais consistentes na temporada, embora não estivessem sequer entre os 30 melhores pontuadores qualificados. Novamente, assim como Frank Gore, a consistência não existiu em conjunto com a produção, mas é possível dizer que estes são exemplos de WR com produção relativamente garantida.

Curiosidades da posição de WR:

  • Surpreendentemente, Antonio Brown (talvez o melhor jogador de Fantasy Football da NFL) se classificou apenas como o 23º Wide Receiver mais consistente. Lógico, é muito complicado fazer pontuações altíssimas como ele toda a semana, mas é um dado interessante se comparado com outros receivers em seu Tier, como DeAndre Hopkins, Michael Thomas e Keenan Allen;
  • A parte da baixo do Ranking está cheia de jogadores que tiveram anos muito fracos em comparação com seu histórico – o Bottom 5 tem nomes fortes como Jordy Nelson, T.Y. Hilton e Amari Cooper, respectivamente. Coincidência triste, pelo menos no caso de Hilton e Nelson, é a falta de seus Quarterbacks principais. No caso de Cooper, um misto de suposta lesão com falta de confiança por parte de Derek Carr – mas sua capacidade foi demonstrada em pouco jogos extremamente produtivos;
  • O último colocado, Will Fuller, foi vítima das circunstâncias de seu time: com Deshaun Watson, o sophomore estava destinado a uma temporada histórica, podendo chegar a mais de 10 TDs. Infelizmente, Watson se lesionou e a produção de Fuller jamais retornou à fase áurea. Com a volta de Watson, provavelmente, a 100% da sua capacidade física, Will Fuller pode ser um nome a ser observado para rounds da metade dos Drafts;
  • Dentre os 25 melhores ranqueados, 20 foram o alvo principal de seu Quarterback na temporada 2017. Nem sempre o número de Targets foi grande, mas ser a primeira opção no ataque aéreo de um time pode ser sinônimo de produção regular, como se demonstra no ranking do ano passado.

Tight Ends

IC-TEs-2017

A posição de Tight End talvez seja a menos fácil de ranquear com relação às outras – já que o volume de jogo é bem melhor, e o uso da posição nos esquemas ofensivos varia muito. Salvo se o TE é uma das principais armas no jogo aéreo, dificilmente será possível manter uma consistência relevante.

Por isso, em nada nos surpreende as cinco primeiras posições do Ranking de Consistência do BrFF – Ertz, Walker, Graham e Gronkowski estão no Top 10 de Targets na temporada 2017.

Zach Ertz foi o Tight End mais consistente de toda a temporada 2017. O alvo principal de Carson Wentz foi um dos jogadores fundamentais para o título do Philadelphia Eagles, e isto demonstrou a confiança dos treinadores no jogador como arma de ataque. Ertz jogou treze partidas, acumulando 74 recepções e 8 Touchdowns.

Curiosidades da posição de TE:

  • O Tight End que mais teve Targets na temporada – Travis Kelce – foi apenas o 8º TE mais consistente na temporada. Isto pode se explicar pela quantidade de pontuações discrepantes que este teve durante a temporada – alguns jogos com muitas jardas e outros com produtividade quase inexistente;
  • O jogador que está imediatamente acima de Kelce na classificação – Evan Engram – foi um dos únicos TEs rookies da história a receber mais de 100 targets na sua temporada de estreia. O último jogador a fazer isso, coincidentemente, também foi um Tight End dos Giants, Jeremy Shockey;
  • Os dois TEs de Tampa Bay – Cameron Brate e O.J. Howard – estão distantes apenas um ponto entre si do Índice de Consistência. Enquanto Brate recebeu quase o dobro de Targets (77 contra 38), Howard foi titular em mais que o dobro de jogos (14 contra 6). Já o número de TDs foi idêntico – 6 para cada um – e a diferença de jardas recebidas não é muito significativa – 591 a 432 a favor de Brate. Difícil explicar a similaridade na consistência, podendo uma explicação ser a regularidade maior de Howard na quantidade de jogos em que foi titular em relação a Brate;
  • Ben Watson foi o sexto TE mais consistente da Temporada 2017, embora tenha tido relativamente poucos Targets no ano em relação aos líderes (79). Entretanto, Watson obteve um dos maiores aproveitamentos por recepção – 77,2% das bolas arremessadas a ele foram agarradas. Todos os Tight Ends que ficaram acima de Watson neste quesito eram 2º ou 3º no Depth Chart da sua equipe – Adam Shaheen, Levine Toilolo, David Morgan, Nick Vannett e Logan Thomas – e a quantidade de recepção destes, em uma soma, é inferior a de Watson – 53 contra 61. No mínimo, um sinônimo de consistência na posição!

Kickers

IC-Ks-2017

Por fim, chegamos à posição mais importante no Fantasy Football!

Ok, talvez eu esteja exagerando um bocado, até porque sei que várias ligas sequer incluem os Kickers em suas escalações, mas é uma posição que pontua muito e pode deixar sua liga ainda mais emocionante.

Como os Kickers não pontuam de forma tão discrepante entre si – até por questões de volume de jogo, oportunidade e outros fatores – é um pouco mais natural que sejam mais consistentes em comparação com as outras posições no Fantasy Football. Entretanto, alguns Ks ainda se sobressaem em relação à concorrência!

Curiosidades da posição de K:

  • O veteraníssimo Matt Bryant foi o Kicker mais consistente da Temporada 2017, somando mais um ponto ao seu quase imaculado currículo. Bryant teve apenas 3 jogos abaixo de 8 pontos na temporada, mantendo uma média nos outros de praticamente 10 pontos por jogo – nada mal pra uma posição difícil de prever;
  • Já o menos consistente Kicker da temporada – Randy Bullock – atuou em um dos piores ataques do ano passado (Cincinnati Bengals), ultrapassando a marca de 10 pontos apenas uma vez em todo o ano;
  • Os cinco melhores ranqueados do Índice de Consistência BrFF – o já referido Matt Bryant, Stephen Gostkowski, Justin Tucker, Jake Elliott e Chandler Catanzaro – estão entre os maiores pontuadores da posição no ano. Isto demonstra que não se pode considerar apenas a qualidade do jogador, mas também a eficiência (ou ineficiência) do ataque em que joga e a quantidade de oportunidades que teve. Lembre-se: Volume, Volume, Volume!

Enfim chegamos ao final deste artigo! Espero que tenha sido uma leitura proveitosa pra você, que aguentou até agora todas estas informações e curiosidades.

Se você tem alguma dúvida, entre em contato com a gente pelo twitter @BrFFootball ou também no meu twitter pessoal @gtcabistani.

Muito obrigado pela atenção!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.