Estratégias E Dicas Para O Draft 2018 – Introdução e Configurações

Esta é a revisão do artigo original de 2017.

Olá pessoal ligado no Fantasy Football! A partir deste mês, o BrFF publicará uma série de artigos voltados a auxiliar os senhores (e senhoras também, afinal Fantasy Football também é coisa de mulher!) a realizar um bom DRAFT!

Atualizamos as dicas já publicadas no ano passado e, assim como Jack (o estripador), as dividimos em partes, a fim de que visualização se tornasse mais fácil.

Pois bem, apresentamos neste momento o primeiro capítulo desta “novela” (e quem joga Fantasy sabe que as temporadas costumam apresentar momentos bem dramáticos, à semelhança das obras dos melhores dramaturgos), com noções gerais sobre o Draft e orientações quanto às configurações de sua liga. Esperamos que aproveitem o conteúdo que doravante será divulgado, e que este auxilie nas suas vitórias em cima daquelas pobres almas que não acompanham o BrFF!

O DRAFT

Agora que você já criou a sua liga de fantasy (ou se juntou à alguma liga criada por um amigo) é hora de se preparar para o momento mais importante (e mais legal da temporada): O draft!

Não existe fórmula infalível para vencer uma liga. São muitas variáveis que influenciam nos resultados deste “esporte”. Lesões ocasionalmente dão um fim abrupto à temporada da sua escolha de 1ª rodada (sim, pode preparar as lágrimas). Jogadores novatos selecionados nas últimas rodadas (ou até mesmo não draftados) podem despontar e fazer um grande impacto. Estrelas da NFL podem começar a cair de produção sem qualquer aviso prévio. Enfim, é mais fácil encontrar o caminho de volta para a casa na “Caverna do Dragão” do que prever uma temporada de fantasy.

Se por um lado é indubitável que não se vence uma liga de fantasy apenas com um bom Draft, é bem possível que você tenha suas chances de título reduzidas a pó caso suas escolhas sejam feitas com a mesma sabedoria com que a população brasileira escolhe seus políticos.

Muitos aspectos têm que ser levados em consideração na hora de escolher seus jogadores no fantasy. Sendo assim, apresentaremos a seguir algumas dicas relevantes para que você possa fazer um bom draft. Convém esclarecer que algumas das orientações são mais voltadas para os novatos na modalidade (e neste particular, pedimos licença aos que já estão mais ambientados ao jogo). Outras dicas são mais universais, podendo ser aproveitadas por jogadores dos mais variados níveis de experiência.

Tenham em mente que levaremos em conta neste artigo uma configuração padrão (“standard”) de uma liga fantasy com 12 times, sendo o tipo de draft no formato “Snake” (cobra). O formato de draft “snake” funciona da seguinte forma: Se você possui a 1ª escolha geral, na segunda rodada você será o último a escolher. Da mesma forma, se você possuiu a última escolha da primeira rodada, na segunda rodada você será o primeiro a escolher, e assim sucessivamente. Ou seja, as escolhas vão e vêm como se fossem uma cobra rastejando, daí o nome.

Existem outros tipos de draft, como o “auction”, que é baseado em valores para “compra” de jogadores. Porém, não abordaremos esta modalidade agora.

Dito isto, passaremos então a listar algumas dicas e orientações para que você faça um bom Draft. Como já salientado, ressaltamos que as dicas a seguir não são “infalíveis” nem deverão ser consideradas como dogmas ou mandamentos. Cada draft é diferente, composto por pessoas diferentes e que pensam, naturalmente, de forma diferente. Então é importante que você se adapte às características de sua liga e ao que o draft apresenta para você (isso será abordado nos próximos “capítulos”).

Portanto, se você utilizar as dicas a seguir e não vencer a sua liga, nem adianta nos processar, pois o nosso time de advogados é forte e experiente (sim, a intimidação também faz parte do futebol americano).

PRESTE ATENÇÃO NAS CONFIGURAÇÕES DA SUA LIGA

unnamed (28)
É primordial que você saiba qual o sistema de pontuação de sua liga. Normalmente, as principais configurações padrão (standard) são as seguintes:

Pontuação para passes:

  • 1 ponto para cada 25 jardas aéreas lançadas;

  • 4 pontos para cada passe para TD;

  • 2 pontos para passe de conversão de dois pontos com sucesso;

  • -2 para cada passe interceptado.

Pontuação do jogo corrido:

  • 1 ponto a cada 10 jardas corridas;

  • 6 pontos para cada TD corrido;

  • 2 pontos para conversão de dois pontos através de corrida;

Pontuação para recepções:

  • 1 ponto a cada 10 jardas recebidas;

  • 6 para cada recepção para TD;

  • 2 pontos para recepção de conversão de dois pontos.

Embora este seja o sistema “padrão” de pontuação, há algumas ligas que optam por sistemas diferentes, nos quais se estabelece, por exemplo, que cada passe para TD valha 6 pontos, em vez de 4. Neste caso, o valor de um QB no time tende a ser maior do que numa liga com sistema de pontuação “standard”. Por outro lado, quanto menos pontos a liga conceder para jardas aéreas passadas, maior valor terá um QB que costuma correr com a bola. O mesmo se aplica aos sistemas de pontuação para os RBs e WRs. Cada posição poderá ter um valor maior ou menor a depender do sistema de pontuação.

Convém observar que existe também o sistema de pontuação chamado PPR (Pontos Por Recepção), que é aquele em que um jogador ganha 01 ponto apenas por ter feito uma recepção, independentemente do avanço de jardas. Embora o estilo de pontuação PPR não seja o foco principal deste artigo, é bom que você saiba que neste estilo de pontuação, naturalmente, os jogadores que costumam receber muitos passes terão um valor maior.

É importante também saber o tamanho do seu elenco e quantos e quais posições compõem os titulares. Em nosso exemplo, o elenco comum possui:

1 QB, 2 RB, 2-3 WR, 1 TE, 1 Flex (RB ou WR), 1 D/ST (defesa / times especiais) e 1 K (kicker), além de 5 ou mais jogadores reservas.

Juntando as informações de elenco e pontuação, o draft pode variar muito em relação a quais jogadores saem nas primeiras rodadas do draft e quais sequer aparecerão nele.

Em suma, não jogue um jogo sem antes conhecer adequadamente todas as suas regras. Esta recomendação básica (que muita gente ignora) serve para qualquer coisa em sua vida, sendo que os resultados de sua inobservância serão igualmente desastrosos.

Acha que acabou? Nada disso! Nos próximos artigos você vai conhecer ainda mais segredos para dar o “pulo do gato” no seu draft! Até mais!

Com a colaboração de Rui Santos.

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.