Sammy Reid, Sobre o “Zero Running Back” e o “Robust Wide Receiver”

em

Olá pessoal! Nós produzimos muito conteúdo original, e procuramos trazer outros materiais já feitos que tenham relevância porém sem tradução para o público brasileiro. O exemplo de hoje vem de Sammy Reid, que escreve para o RotoGrinders.

Na thread do Twitter que estamos traduzindo (com autorização do autor), ele faz uma analogia com o baseball para discutir a estratégia do “Zero-RB”, a qual nós mesmos já apresentamos em nossos artigos com dicas e estratégias. Feitas as apresentações, vamos a discussão.

Thread original: https://twitter.com/SammyReidFI/status/1035604185671036928


  1. Semana passada, o Twitter do Fantasy Footballers entrou em sua excitação anual sobre o Zero-RB.
    Eu tenho alguns pensamentos sobre isso que eu nunca articulei nessa plataforma, principalmente porque eu sou muito preguiçoso.
    Você pode concordar ou discordar, eu não me importo. Mas espero que isso lhe dê algumas coisas para pensar a respeito.
  2. Em primeiro lugar, você deve saber que Zero-RB não é uma ideia nova. De fato, ela está por aí há décadas…no fantasy baseball.
    Porque, veja, running backs são os Starting Pitchers [arremessadores titulares] do fantasy football.
  3. Eles são recursos arriscados, voláteis e difíceis de projetar que se machucam desproporcionalmente com mais frequência – e mais seriamente – que outros jogadores no seu esporte.
    E é mais fácil achar RBs acima da média no fim do draft ou na waiver wire.
  4. Os [RBs] de elite, no entanto, vencem ligas.
    Isso é porque é quase impossível achar um cara nas rodadas do meio para o final ou na waiver wire que pode manter um WHIP de 0,9 com 250 ou mais strikeouts, ou 1600 ou mais jardas totais e 12 ou mais TDs.
    Em resumo, os RBs de elite e os arremessadores iniciais são unicórnios que vencem ligas.
  5. Todos conhecem os caras de elite. O baseball teve seu “Big 4” nessa temporada – Max [Scherzer], [Chris] Sale, [Clayton] Kershaw e [Corey] Kluber.
    Assim como o football tem seu Big 4: [Todd] Gurley, [Le’Veon] Bell, DJ [David Johnson] e Zeke [Ezekiel Elliott].
    Nós também temos uma segunda prateleira com um par de caras que vão subir para a elite; pense em [Jacob] deGrom/[Justin] Verlander e talvez CMC [Christian McCaffrey]/MG3 [Melvin Gordon III].
  6. De toda sorte, há muito tempo a comunidade do fantasy baseball percebeu que rebatedores são recursos mais seguros e facilmente projetáveis.
    Eles estavam cansados de seus aces de primeira rodada passando pela cirurgia TJ [Tommy John] em abril, assim como os donos de times do fantasy football estavam cansados de ver seus RBs de primeira rodada estourarem seus ACLs na semana 3.
  7. Ranqueadores de dynasty começaram a jogar bons rebatedores para o topo de suas listas e movendo os arremessadores para baixo, assim como temos visto donos de times de dynasty football em relação a WRs jovens 📈 e jovens RBs 📉.
  8. Estratégias de draft formaram-se em torno de gastar a maior parte do capital de draft em rebatedores, e receberam nomes divertidos como o Plano Labadini (em homenagem a Larry Labadini) e o Plano LIMA (Low Investiment Mound Aces [Baixo Montante Investido em Aces]), desenvolvido por Ron Shandler.
  9. Enquanto muitos jogadores de fantasy football pensam que Zero-RB é um novo conceito, ele na verdade não é. Então o que podemos aprender com sua contrapartida no baseball?
    Bem, as versões extremas (como o Labadini, que advogava gastar apenas $9 em um leilão de $260 em arremessadores) não funcionaram tão bem assim.
  10. Assim como o plano original do Zero-RB – não draftar um único RB nas rodadas mais vantajosas, geralmente 5 ou mais – era extremo demais para sucesso continuado.
    Aí é onde algumas pessoas – algumas das das quais são pessoas muito espertas que eu respeito muito – discordarão de mim (e está tudo bem).
  11. A realidade é que qualquer plano de draft que é baseado em deixar unicórnios que vencem ligas passar é inerentemente falho.
    Você pode dizer “WRs podem vencer ligas também!” E é claro que é verdade. Mas não há recurso mais raro e valioso no fantasy football que um RB de 350 toques [na bola] e 2.000 jardas [de scrimmage].
  12. Um lugar em que o Zero-RB deixou a desejar é que ele não explica mudanças de oferta e demanda. Ele entrou em voga no mesmo momento em que a maioria dos times começou a empregar os backfields de tempo compartilhado [comitês de running backs] – essa dinâmica fez os bellcows [RB1, running back de 3 descidas] verdadeiros MAIS valiosos do que nunca, porque existiam muito MENOS deles.
  13. Isso também significou que quando um RB titular se machuca, seu substituto (frequentemente um alvo de estrategistas Zero-RB no draft) não recebia o papel de verdadeiro bellcow.
    Há exceções, é claro (ex.: DeAngelo [Williams] no lugar de Le’Veon [Bell]), mas em geral não estamos vendo Steven Jackson entrando em campo no lugar de Marshall Faulk.
  14. Outra coisa a se considerar é que RBs são recursos menos previsíveis que WRs em nível “de temporada”, mas são mais previsíveis num nível “jogo-a-jogo”.
    Assim como rebatedores são mais previsíveis ao longo de uma temporada, mas arremessadores são mais previsíveis em jogos individuais.
  15. Não se engane: Zero-RB é absolutamente baseado em princípios teóricos sólidos.
  16. É bem verdade que WRs são menos propícios a quebrar – seja por lesão ou por redução do volume de jogo – do que RBs.
    É verdade também que incorporar elementos não-frágeis na sua estratégia de draft é +EV [aumenta seu valor esperado].
  17. E por causa disso, muito jogadores espertos voltaram-se a uma versão modificada do Zero-RB, que pode ser chamada de “Robust WR” [WR Robusto].
    Enquanto o verdadeiro Zero-RB não pega quaisquer RBs nas primeiras rodadas, Robust WR impõe buscar um RB bellcow cedo e usar o resto das primeiras escolhas em WRs/TEs.
  18. Robust WR é mais próxima do Labadini Modificado, que advoga gastar muito por um ace (ex.: Kershaw) e então gastar pouco com o resto do seu time.
    Ela tira vantagem dos princípios do Zero-RB enquanto não deixa de pegar unicórnios que vencem ligas.
  19. Esse RB de fundação não precisa ser sequer um dos Big 4. Ele pode ser um cara da segunda prateleira que é um pouco mais barato, mas que você acredita que subirá ao status de elite.
    Esse ano pode ser um cara como “Dairy Sanders” [Christian McCaffrey], MG3 [Melvin Gordon] ou Joe Mixon.
  20. Uma grande questão com o Zero-RB verdadeiro é sua inflexibilidade/rigidez. Se você se engaja na estratégia e não é flexível a valores e condições que mudam durante o draft, você está ferrado.
    A falha do Zero-RB na última temporada não foi em deixar Lev [Bell] passar na 1ª rodada, foi deixar Gurley passar no final 2ª / início da 3ª rodada.
  21. Não me entenda mal. É 100% mais fácil de encontrar um RB acima da média contributivo nas últimas rodadas/waiver wire do que um WR [com os mesmos atributos].
    Esta é uma das grandes forças do Zero-RB – que RB é uma posição mais fácil de repor.
    Mas para ambos, encontrar um verdadeiro unicórnio fora dos primeiros rounds é muito difícil.
  22. Esta temporada em particular parece perfeita para uma estratégia Robust WR.
    RBs não-elite foram jogados pra cima no board e estamos frequentemente vendo [running] backs não-provados, potencialmente em comitê como R[oyce] Freeman, [Kenyan] Drake, e [Jerick] McKinnon irem na 3º rodada à frente de WRs1 em potencial como [Adam] Thielen, [T.Y.] Hilton e Tyreek [Hill].
  23. Em resposta à pontuação baixa na última temporada.
    Também, as rodadas de meio e fim estão cheias de alvos do Zero-RB que atualmente aparecem nos lados fracos de volume: Aaron Jones, [Matt] Breida, K[erryon] Johnson, [Sony] Michel, [Rashaad] Penny, além de tipos como [Chris] Carson/[Peyton] Barber/AP [Adrian Peterson] que podem facilmente exceder seus valores.
  24. Em suma, se você é um cara ou uma garota Zero-RB, é ótimo. Zero-RB é baseada em princípios teóricos sólidos que se mantiveram ao longo do tempo.
    No entanto, ir para um draft com uma estratégia inflexível nunca é uma boa ideia. Mude quando o valor se apresenta, e procure draftar um unicórnio pra si.
  25. Alguma coisa aqui é inovadora? Não acho. A maior parte disso é senso comum.
    Mas espero que isso lhe dê algo pra pensar sobre enquanto nos aproximamos do último fim de semana de drafts da temporada.
    Boa sorte lá fora!

O que acharam dessa discussão, pessoal? Gostaram? Não? Fale com a gente no Twitter e vamos debater essas ideias! E, para aqueles que manjam um pouquinho de inglês, falem diretamente com o Sammy!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.