As Crônicas do Volume – Capítulo I: Running Backs

em

DISCLAIMER: Este artigo foi publicado originalmente no site Across The Fantasy Pond, em 28/08/2018. Para ir ao artigo original, acesse: https://acrossthefantasypond.com/2018/08/28/the-volume-chronicles-running-backs-by-gabriel-cabistani/

Por mais presunçoso que pareça, vou iniciar esta série citando o legendário Matthew Berry, quando ele dá um breve conceito sobre qual o principal objetivo no Fantasy Football:

“Em um nível fundamental, Fantasy Football é inteiramente sobre minimizar risco e dar a você mesmo as melhores chances de vencer em uma base semanal.”
(Em The Draft Day Manifesto: Why a weekly focus is key to fantasy football success – 1º/08/2018: Http://www.espn.com/fantasy/football/story/_/page/TMRDraftDayManifesto18/strategy-risk-management-historical-trends-tips-how-draft-fantasy-football)

Dito isto, uma questão rápida vem à mente: como diabos você pode minimizar o risco no que diz respeito aos Running Backs? Bom, não acho que exista um dispositivo infalível de predição de pontos no Fantasy Football ainda. Se você conhece algum, nos avise assim que for possível!

Brincadeiras à parte, parece bastante óbvio que, para o homem médio, quanto mais você tem a oportunidade de fazer alguma coisa, maiores são as chances de que você a faça com sucesso.

Mesmo que o Futebol Americano seja direcionado mais a uma abordagem Pass Heavy (ou seja, o jogo de passe é mais enfatizado que o corrido), Jardas Corridas e Touchdowns ainda contam para seus times do Fantasy. Ainda, produtores consistentes na posição de RB são cada vez mais raros a cada ano que passa.

Neste artigo, tentaremos provar que – por meio de planilhas, gráficos e outros tipos de correlações – volume de jogo é chave para que um Running Back produza no Fantasy Football (seja no jogo corrido ou de passe).

Dados Gerais

Para começar, é importante determinar que dados são relevantes no que diz respeito ao volume de jogo: Tentativas de Corrida, Targets e Recepções. Como dissemos antes, quanto mais oportunidades alguém tem de fazer alguma coisa, maiores as chances de ele fazê-la.

Na lista abaixo, olharemos para os líderes de Toques/Jogo na temporada 2017 da NFL. Todos estes jogadores tiveram mais de 15 Toques/Jogo (nesta tabela, Jay Ajayi nos Dolphins e Adrian Peterson nos Cardinals foram incluídos).

Esclarecendo: Touches = Tentativas Corridas + Recepções

Além disso, consideramos apenas jogadores que tiveram pelo menos 50 toques totais na temporada passada.

FOTO 1

De todos os jogadores qualificados, 13 estão listados entre os 19 melhores jogadores em Pontos PPR/Jogo. Nos 10 melhores pontuadores em Pontos PPR/Jogo, nove estavam listados entre os jogadores com maior volume durante a temporada 2017. Abaixo, segue a lista de mais Pontos PPR/Jogo:

  • Todd Gurley (25,53);
  • Le’Veon Bell (22,93);
  • Ezekiel Elliott (20,30);
  • Alvin Kamara (19,63);
  • Kareem Hunt (18,44);
  • Melvin Gordon (18,00);
  • Leonard Fournette (17,69);
  • Mark Ingram (17,38);
  • LeSean McCoy (16,50);
  • Dalvin Cook (16,25).

Fora Alvin Kamara, todos estes jogadores tiveram um Adjusted Rushing Share (a porcentagem de Tentativas Corridas que um jogador teve no seu time nos jogos em que atuou) de pelo menos 50%, e, fora Leonard Fournette, todos tiveram um Adjusted Target Share (a porcentagem de Targets que um jogador teve nos jogos em que jogou) de 12%.

Dentre estes, o único jogador que não teve pelo menos 15 Toques/Jogo foi, surpresa, surpresa, Kamara – em pouco mais de 12 Toques/Jogo, ele marcou 19,63 Pontos PPR/Jogo, suficiente para marcar 1,56 Pontos PPR por Toque na bola!

Observando os Running Backs Top 10 em Pontos PPR na última temporada, apenas Dalvin Cook e Ezekiel Elliott não estiveram presentes (por coincidência, ambos não jogaram a temporada inteira), e Christian McCaffrey foi o único “forasteiro” a aparecer no Top 10 com 229 Pontos PPR totais (décimo colocado).

Este é um exemplo claro de como o volume irá, quase que certamente, ditar a produção para propósitos de Fantasy Football – neste jogo, não só TDs contam para pontuações, mas também Jardas Corridas e Recebidas e, em formatos PPR, recepções também.

Gráficos

Agora, trazemos alguns gráficos que podem lhe dizer uma coisa ou duas sobre como o volume de jogo se relaciona diretamente com a produção nos campos do Fantasy Football.

FOTO 3

Este gráfico correlaciona o Adjusted Rushing Share com a quantidade de Pontos/Jogo Standard que um jogador teve.

A relação é bastante óbvia pela dispersão demonstrada. Claro, não só Jardas Corridas contam para pontuação no Fantasy Football, como dito antes. Mas, fora algumas aberrações – como o já mencionado Alvin Kamara e Jay Ajayi na sua época de Dolphins – o gráfico mostra que quanto maior o Rushing Share o jogador possui, mais ele produziu em times de Fantasy Football.

Aqui estão os Running Backs com o maior Adjusted Rushing Share de 2017:

  • Ezekiel Elliott (87.68%);
  • Jay Ajayi – Miami Dolphins (82.63%);
  • Le’Veon Bell (74.31%);
  • Melvin Gordon (68.60%);
  • Dalvin Cook (67.89%);
  • Kareem Hunt (67.66%);
  • Jordan Howard (65.40%);
  • LeSean McCoy (62.26%);
  • Todd Gurley (61,59%);
  • Carlos Hyde (60,45%).

7 dos 10 jogadores acima estão presentes no Top 10 de pontos totais Standard. Novamente, Cook e Elliott ficaram de fora, e neste caso, Jay Ajayi – resultado de subprodução e Game Scripts negativos, especialmente em Miami).

Sobre os outros três “Forasteiros”: ambos Running Backs do New Orleans Saints estiveram no Top 10 de Pontos Standard (Kamara e Mark Ingram, graças a uma temporada de Fantasy espetacular) e Fournette, que correu em 51,34% das vezes para os Jacksonville Jaguars e foi um ímã de Touchdowns – ele marcou nove vezes em 2017.

Para o próximo gráfico…

FOTO 2

Este gráfico apresenta a correlação entre Toques/Jogo (que envolve recepções) e Pontos PPR/Jogo.

O desenho da dispersão do gráfico é muito similar ao anterior, fora alguns atletas que tiveram eficiência absurda com base por toque. Alguns dos exemplos são citados abaixo, em ordem de produção por toque:

  • Alvin Kamara (1,56);
  • Chris Thompson (1,47);
  • Austin Ekeler (1,45);
  • Duke Johnson e Rex Burkhead (1,38);
  • James White (1,35);
  • Rod Smith e J.D. McKissic (1,24);
  • Christian McCaffrey (1,16);
  • Theo Riddick, Corey Clement e Todd Gurley (1,12);
  • T.J. Yeldon (1,11);
  • Jalen Richard (1,04);
  • Tarik Cohen e Giovani Bernard (1,03).

Notou alguma tendência? Sim, todos estes são RBs que recebem muitos passes e quase nenhum deles (fora Todd Gurley e talvez Christian McCaffrey) carregaram um volume elevado de jogo.

Estes são os únicos jogadores que tiveram eficiência (Pontos/Toque) acima de um ponto por jogo. O ÚNICO jogador que esteve presente nos jogadores que mais tiveram volume foi, claro, o RB1 de 2017, Gurley!

Conclusões Rápidas e Jogadores pra Você ficar de Olho

Sei que estes modestos gráficos e os dados demonstrados são apenas um pedaço do que pode ser trazido, mas penso que podem ser levados em consideração sobre como o volume de jogo é elemento chave para a produção de um Running Back no Fantasy Football.

Como demonstrado, pode ser que algum Alvin Kamara 2.0 possa surgir na temporada 2018, mas estes tipos de desempenho são desvios na curva. Assim, não conte com produções massivas para atletas que podem não ter um Rushing Share alto ou uma porcentagem razoável de Toques no seu Backfield.

Para terminar, deixo algumas sugestões (algumas óbvias e outras nem tanto) de jogadores pra você pegar para seu time de Fantasy Football – caras, claro, que possuem boa chance de ter, no mínimo, um volume considerável de jogo:

  • Isaiah Crowell;
  • Peyton Barber;
  • Adrian Peterson;
  • Alfred Morris/Matt Breida;
  • Lamar Miller;
  • Carlos Hyde;
  • Jamaal Williams/Aaron Jones.

Espero que este artigo lhe ajude a fazer decisões boas nos seus Redrafts, Drafts de Rookies ou escolhas de Keeper – e sempre, sempre, SEMPRE, quando escolhendo Running Backs, olhe para aqueles que possam ter uma boa quantidade de Corridas, e aqueles que tem volume de recepções!

Tomara que você tenha curtido este artigo, e vejo você no próximo – Receivers. Até lá!

2 comentários Adicione o seu

  1. Anderson Sodre disse:

    ótimo texto, esclarecedor e inclusive no faz pensar sobre a escolha de RBs mais a frente, nem todos tem um pick bom para pegar os RBs elite, então dão sugestões ótimas, parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.