Opções para reforçar seu time na waiver wire para a semana 11

em

Olá, caros amigos!

Estou de volta depois de duas semanas no injury report. Muito obrigado ao grande Rui Santos por manter este espaço ativo.

A semana não mostra tantos nomes promissores. Com seis times de bye, contudo, é bem provável que alguns dos nomes apresentados não apenas componham o elenco, mas efetivamente joguem; quem sabe algum deles não garanta sua vitória? Nem que seja pra voltar para a free agency na próxima rodada.

Vamos a nossas indicações da semana:

Donte Moncrief, WR, Jacksonville Jaguars

Os Jaguars, contrariando a expectativa, são um dos times que mais usam o jogo aéreo na NFL. O comitê de wide receivers pode ser um pouco confuso, mas Moncrief se estabeleceu como o líder do pelotão, com mais jardas, alvos e snaps que Keelan Cole e Dede Westbrook. Vem tendo uma média de 5,6 acionamentos por partida. Na semana 10, teve apenas 3 recepções para 98 jardas e 1 TD, mas se mantiver a média, a sequência de confrontos é extremamente favorável.

Josh Reynolds, WR, Los Angeles Rams

Com a triste contusão de Cooper Kupp, que não volta mais este ano, Reynolds assume o posto de WR3 de um ataque extremamente prolífico. Diferente de Kupp, não deve jogar muito na posição de slot, que deverá ser mais ocupada por Robert Woods. Embora isso atraia para Reynolds marcação normalmente mais dura, abre também a possibilidade de big plays, sempre uma parte importante do jogo dos Rams.

Quando Kupp esteve fora, nas semanas 7 e 8, Reynolds participou, respectivamente, de 84% e 88% dos snaps, número altíssimo. O resultado não foi tão bom, com 4 recepções para 61 jardas, mas vieram acompanhados de 2TDs (ambos no mesmo jogo). Reynolds é uma opção interessante como flex.

Rashaad Penny, RB, Seattle Seahawks

Mais uma semana, mais um RB calouro chama a atenção. Na ausência do titular Chris Carson, Penny teve mais toques e mais jardas que o RB2 dos Seahawks, Mark Davis. As expectativas com Penny devem ser temperadas, já que a notícia é de que Carson volta para o jogo de quinta-feira contra os Packers. Entretanto, é possível que a participação de Penny cresça nas próximas rodadas. Vale a pena pelo menos reservar um lugar em seu elenco para ele.

Doug Martin, RB, Oakland Raiders

Todos estamos vendo que os Raiders estão uma bagunça. Mas no meio disso, Martin vem tendo um volume decente de jogadas, tendo 13, 11 e 15 corridas nos últimos três jogos (e recebeu mais três passes na semana 10). Seu valor depende de um gamescript favorável aos Raiders – ou seja, não ficar muito atrás no placar, o que é difícil – mas este volume já é suficiente para qualificar Martin como um possível flex em seu time.

Jeff Heuerman, TE, Denver Broncos

Demaryius Thomas se transferiu para os Texans, deixando o potencial de muitos passes para serem distribuídos entre seus antigos companheiros. Enquanto se esperava uma maior participação de Courtland Sutton, foi o TE Heuerman quem mais se beneficiou no jogo da semana 9, antes da bye: foi acionado incríveis 11 vezes, recebendo 10 passes para 83 jardas e um TD.

Não se sabe se isso vai ser repetido, mas o fato é que Heuerman teve 4 ou mais passes lançados em sua direção em 6 dos 9 jogos de Denver na temporada. Com a posição de TE do jeito que está em 2018 (nem Gronk e Rudolph estão se salvando), Heuerman é uma jogada arriscada, mas interessante.

John Ross, WR, Cincinatti Bengals

A esta altura do campeonato, poucos nomes da waiver wire têm potencial para virar um titular definitivo de um time de fantasy. O mais comum é que aconteça alguma movimentação durante a semana (normalmente por contusão) que lance o substituto no estrelato – veja-se, por exemplo, o caso de Nick Chubb. John Ross é uma exceção a essa regra.

Talento não lhe falta; oportunidades também não. Entrando no lugar de AJ Green, machucado e possivelmente afastado até dezembro, vai achar volume de acionamentos suficientes em um bom ataque, e em um time que tem a pior defesa da NFL em décadas. Tempestade perfeita para um bom WR.

No primeiro jogo nessa condição, na semana 10, foi acionado 6 vezes, mas recebeu apenas 2 bolas para 39 jardas, salvando o dia com um TD. O jogo, entretanto, foi meio atípico, e o ataque dos Bengals como um todo não rendeu bem contra a elétrica equipe dos Saints. Dias melhores virão.

Keke Coutee, WR, Houston Texans

Deve retornar de contusão na semana 11, ocupando o espaço deixado por Will Fuller como slot receiver dos Texans. A expectativa é que possa repetir a sensacional atuação da semana 4, quando recebeu 11 passes (de 15 lançados em sua direção) para 109 jardas contra os Colts. Se estiver saudável, a presença de Demaryius Thomas não deve diminuir muito sua importância. Vale a pena adicioná-lo, ainda mais que tem ótimos confrontos a partir da semana 13. Pode fazer a diferença nos playoffs do fantasy este ano.

Anthony Miller, WR, Chicago Bears

Tudo que dissemos sobre Taylor Gabriel na primeira metade da temporada se aplica a Anthony Miller agora. Gabriel sumiu, não sendo acionado efetivamente por Mitch Trubisky. Já Miller vem aumentando sua participação, tendo no mínimo 6 acionamentos em cada uma das quatro últimas partidas, e marcando TD em 3 das últimas 5. Em uma semana com tantos times de folga, é um WR2 com potencial.

Especial: cantinho do urubu

Neste espaço, listamos alguns jogadores que têm valor pelas contusões ou baixo desempenho dos titulares. São os beneficiários da carniça:

Tyler Higbee, TE, Los Angeles Rams – Outro beneficiário da contusão de Cooper Kupp. Higbee é o principal TE do time, tendo muito mais snaps que George Everett (77% a 25%). Cada um marcou um TD no último jogo. Higbee pode suprir a falta de Kupp num setor em que ele era essencial, a redzone.

Josh Adams, RB, Philadelphia Eagles – O backfield dos Eagles continua uma bagunça, mas Adams é claramente o mais talhado para a função de early down back, para a qual o time contratou Jay Ajayi. O HC Doug Pederson prometeu dar mais toques a Adams. Vamos conferir.

Zay Jones, WR, Buffalo Bilss – Depois de uma boa partida na semana 10, se qualifica como o WR1 do time. Voltando de bye, junto com o QB Josh Allen, é uma opção para ficar de olho.

Lamar Jackson, QB, Baltimore Ravens – Contundido ou não, uma hora o reinado de Joe Flacco vai acabar. E quando Lamar pegar na bola, os torcedores vão se perguntar porque ele não jogou antes.

Boas compras e boa sorte na semana 11!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.