FORA DO POCKET – SEMANA 14

em

Toda semana estamos trazendo uma visão mais profunda de aspectos e estratégias relacionadas ao fantasy que possam te ajudar a escalar jogadores e/ou captar os jogadores interessantes para os confrontos.

Um dos aspectos mais relevantes para a escalação de um time é considerar a força da tabela. De forma bem objetiva lançamos os melhores e piores confrontos de cada rodada no FORÇA DA TABELA. Eles poderão servir  como guia para escolher jogadores que porventura, tenham jogos mais favoráveis para a posição. Você pode perceber, no entanto, que nem sempre os jogos que são mais ou menos favoráveis refletem fielmente um bom resultado.

Podemos dizer que uma excelente estatística vai te entregar algo objetivo com cerca de 75% a 80% de acerto. Isso pode ser inferido para qualquer publicação que se relacione ao Fantasy e lhe resta apenas saber que o que você está lendo e utilizando ali não vai ser 100% fiel, mas será muito útil para aumentar suas chances de acertar.

Estratégias combinadas são essenciais para um bom resultado no fantasy e nas linhas abaixo você vai ver o quanto isso é importante quando constatar, principalmente, que nem todo bom calendário define um bom desempenho. Mas a combinação de um bom calendário combinado com o volume e oportunidades pode fazer um jogador ser uma peça chave para o seu bom desempenho nas próximas rodadas. 

Nenhum momento mais importante para abordar a Força da Tabela que nos últimos  jogos classificatórios e durante os playoffs. Por isso, chegado o último jogo da temporada regular do Fantasy (para a maioria), resolvemos abordar alguns dos melhores cenários de Força da Tabela com outras estratégias para você se dar bem no fantasy.

Segue a gente para mais um FdP!

DISCLAIMER: os subtítulos indicam o jogador/time e os seus próximos adversários com respectivos rankings de pontos cedidos para a posição durante as semanas de playoffs  14-16. Ex.: Ben Roethilisberger, 1º QB em oportunidade, enfrenta OAK, NE e NO, que são as 8ª, 13ª e 4ª defesas que mais cedem pontos a QBs, respectivamente.

Não apenas os melhores ranqueados serão discutidos, mas também outros com bom ou excelente potencial mesmo com uma tabela não tão boa quanto os melhores ranqueados, caso de Christian McCaffrey, 4º colocado no quesito em RBs, mas cuja competência e volume faz com que o coloquemos em categoria melhor que Gus Edwards, David Johnson e Melvin Gordon, os que terão melhor calendário na posição.

Por fim, tem Força da Tabela Especial no fim do artigo. Boa leitura!

Força da Tabela – Ouro

Melhores jogos para os mais prolíficos jogadores em termos de Fantasy Points.

QUARTERBACKS

Três dos 5 primeiros quaterbacks mais consistentes desta temporada têm os três melhores calendários para os playoffs contra a posição:

Ben Roethlisberger – OAK (8º), NE (13º) e NO (4º)

Tem o melhor calendário para os playoffs contra QB. Big Ben tem sido muito interessante no fantasy e promete se manter assim. Minha única preocupação é que, destes jogos, dois são fora de casa onde ele costuma ter jogos piores, porém este ano, mesmo em terras adversárias, Ben anotou mais de 20 Fpts em todos os jogos menos 1, na primeira semana.

Cam Newton – CLE (15º), NO (4º), ATL (2º)

Cam continua sua saga de grande opção de fantasy, principalmente pelo seu jogo corrido (traduzindo para os mais novos no Ffball, um QB que corre muito e marca TD corrido tem alto valor de fantasy). Semanas vantajosas o esperam nos Playoffs.

Drew Brees – TB (3º), CAR (6º), PIT (9º)

Como diriam muitos, inclusive eu, DeusBrees merece o título de MVP desta temporada e imagine como o 3º melhor calendário nos playoffs, não pode ajudar isso? O bom é que ainda está na briga de 1º seed com os Rams, portanto não vai tirar o pé agora.

RUNNING BACKS

Christian McCaffrey – CLE (7º), NO (30º), ATL (4º)

CMC vinha bem desde o início da temporada, mas vem excelente desde a semana 8, garantindo aos seus times de fantasy produções que muitas vezes podem ter garantido a vitória. Para as semanas de Playoffs, tudo tende a permanecer como está e CMC tende a ser tão valioso quanto foi Todd Gurley no ano passado, que garantiu muitos campeonatos de Fantasy.

Phillip Lindsay – SF (16º), CLE ( 7º) e OAK (8º)

Se tem um Jogador que pode ser considerado o melhor custo benefício da temporada é este! Lindsay foi o jogador mais cotado da primeira waiver wire de 2018 e de lá para cá, seus números no Fantasy só têm melhorado. Pode não ser o MVP da temporada, mas com certeza está entre os melhores backs de 2018.

Com estes Playoffs (enfrentando SF, CLE e OAK, 15ª, 7ª e 6ª defesas menos promissoras para o jogo corrido respectivamente) e com Sanders fora da temporada, o que aumenta seu valor em passes, o corredor tem tudo para ser um dos melhores nomes do FFball para as finais.

RECEBEDORES

Michael Thomas – TB (3º), CAR (11º), PIT (19º)

E se dissermos que o 5º melhor recebedor da temporada até agora e o melhor recebedor de Drew Brees tem a 3ª melhor agenda contra a posição? Será que isto seria uma das melhores notícias para seus playoffs? (Para mim, cai como uma luva, rs). Conte com Michael para mais alegrias.

Robert Woods + Brandin Cooks – CHI (16º), PHI (6º), ARI (23º)

Não dá para diferenciar os dois em upside nesta temporada. Apesar de Woods ser mais utilizado, Cooks pode sobressair em qualquer jogo num ataque que tem sido um dos melhores para o Fantasy neste campeonato. Josh Reynolds pode aparecer neste período, o que lhe dá valor em ligas maiores.

Força da Tabela – Prata

QUARTERBACKS

Philip Rivers  –  CIN (1º), KC (5º), BAL (31º)

Rivers tem entregado pontuações muito consistentes para o Fantasy e com a 7ª melhor trajetória contra defesas mantém a proposta. Só tem uma pegadinha: semana 16 joga contra Baltimore, a segunda defesa mais forte contra QBs, justo na sua final de Fantasy.

Lamar Jackson – KC (5º), TB (3º), LAC (20º)

A questão é: Lamar Jackson joga? Depois de 3 vitórias consecutivas que colocaram os Ravens de volta à briga pela classificação aos playoffs, o time deve manter a preferência pelo rookie.

Apesar de não lançar com tanta frequência quanto corre (fiquem em desespero mesmo, donos de John Brown e Crabtree), uma coisa boa na sua agenda de jogos é que as defesas são piores contra jogo corrido, seu forte. Sua agenda e seu upside de corredor para o fantasy torna Jackson uma opção redonda de streamer nos playoffs, enquanto Flacco não jogar.

Baker Mayfield – CAR (6°), DEN (23º), CIN (1º)

Mayfield se mantém como uma boa opção de stream, ainda com um bom confronto para sua final com o adendo de que ele deve se manter prolífico até o fim, não tem nada a perder e tentará garantir a melhor campanha dos Browns dos últimos tempos.

RUNNING BACKS

Gus Edwards – KC (3º), TB (5º), LAC (13º)

Se, por um lado, Alex Collins foi pra IR, Kenneth Dixon mal está voltando de lá e Javorius Allen não foi relevante na temporada, por outro Lamar Jackson tem gostado de fazer as vezes de running back no time. Mas, ainda assim, Edwards tem espaço para produzir, enfrentando Chiefs e Buccaneers, e tendo um desafio mais complicado nos Chargers.

Ezekiel Elliott – PHI (19º), IND (18º), TB (5º)

Claro que os Bucs inflacionam o valor de Zeke, mas o mais importante é não ignorar este RB para o qual não tem tempo ruim, ainda mais no playoff push que os próprios Cowboys estão fazendo depois de tomar a liderança da NFC East.

RECEBEDORES

Antonio Brown / Juju Smith-Schuster – OAK (18º), NE (24º), NO (1º)

Parece um contrassenso ver Brown e Juju aqui tendo Raiders e Patriots como adversários não tão bons. Mas se a perspectiva de Big Ben é boa contra os mesmos times, é sinal de que alguém vai produzir as jardas aéreas pra isso, no caso, esta dupla de wide receivers.

Jared Cook – PIT (13º), CIN (5º), DEN (12º)

Ao menos três motivos credenciam Cook como excelente opção: ser o principal recebedor do time, os times que enfrenta e sua consistência mediana (em termos de TE, é algo positivo, já que contam-se nos dedos aqueles que são consistentes na posição).

Força da Tabela – Bronze

Têm jogadores que mesmo com uma tabela favorável tendem a ser pouco promissores para o Fantasy e podem enganar na hora da escolha para as finais. 

QUARTERBACKS

Josh Rosen – DET (14º), ATL (2º), LAR (12º)

Bem…Rosen não é uma aposta segura, mas você poderá usá-lo para ou chegar aos playoffs ou para alcançar as finais da sua liga, já que ele enfrentará os Rams na semana 16. Boa opção de stream para quem não tem um dos QBs citados mais cedo.

Case Keenum – SF (7º), CLE (15º), OAK (8º)

Este é um cenário ótimo para demonstrar que um calendário favorável não gera bom prognóstico. Case Keenum passa longe, muito longe, de ser um QB consistente em 2018, com TD/int de 1,4 e apenas uma semana em que se destacou como QB1. Apesar dos confrontos favoráveis , é de se esperar que o jogo corrido (leia-se Phillip Lindsay) vença as partidas no lugar do braço de CK4.

RUNNING BACKS

Dalvin Cook – SEA (15º), MIA (9º), DET (10º)

Apesar de um ano de poucas partidas (boas), o segundanista têm partidas razoáveis e que são importantes para o futuro de Minnesota na temporada, já que os Vikings brigam por playoffs (provavelmente um wild card).

Um desses jogos é o confronto direto com Seattle, que não briga mais pela NFC West, vencida pelos Rams. Somando-se seu talento de prospecto de segunda rodada do draft de 2017, Cook promete boas partidas amparadas em big plays e, quem sabe, TDs.

David Johnson – DET (10º), ATL (4º), LAR (20º)

O melhor RB2 da temporada (standard) tem, ao menos, 2 bons confrontos (Lions e Falcons). Arizona não têm mais aspirações, mas já tem seu franchise QB, então a missão aqui não é mais tankar, fora que DJ é um bom jogador em um time tropeçante desde que chegou nos Cardinals.

RECEBEDORES

Dante Pettis – DEN (17º), SEA (12º), CHI (16º)

Se os dois últimos jogos servem de termômetro, encontramos a explicação pela qual os Niners escolheram o WR calouro na segunda rodada. Seu calendário é razoável e ele terá algum volume enquanto Matt Breida não retornar 100% para mover as correntes ao lado de George Kittle.

John Brown – KC (22º), TB (2º), LAC (20º)

Lá em cima, nós avisamos que vocês podem se desesperar com Brown e Crabtree, e eis o motivo: como se não bastasse todo o esforço terrestre que o time vem fazendo, somado ao perfil corredor de Lamar Jackson, temos Chiefs e Rams no caminho dos Ravens. Somente os Bucs são realmente um bom confronto, o que faz de John Brown uma opção arriscada até em ligas maiores.

Eric Ebron – HOU (10º), DAL (14º), NYG (15º)

Não dá pra ignorar a temporada incrível de Eric Ebron sob o comando de Andrew Luck. O recebedor não tinha vivido esse protagonismo em Detroit, onde começou sua carreira. Com o 9º melhor calendário, e num time que briga pelos playoffs, ele é uma peça inquestionável para você que tem a sorte de tê-lo.

Força da Tabela – Contender

Este é o mais importante tópico do artigo, aqui você tem jogadores que apesar de não terem uma força da tabela favorável, têm condições de te dar boas atuações no Fantasy.

QUARTERBACKS

Com a 27ª e a 30ª piores agendas de playoffs, respectivamente, você iria deixar de escalar Jared Goff e Patrick Mahomes? Nem eu. São verdadeiros “must start” e não tem força de tabela que diga o contrário.

RUNNING BACKS

Marlon Mack – HOU (25º), DAL (29º), NYG (8º)

Mack voltou de lesão de forma avassaladora e pontuando mais de 25 pontos em jogos seguidos. Não tem o melhor calendário de confrontos, mas está num time que pode usa-lo bem, como tem feito, mesmo com produções inferiores nos últimos jogos, fatores externos, (concussão, game script… etc) foram mais responsáveis que ele. Acredito que será um contender nos playoffs.

James Conner – OAK (6º), NE (22º), NO (29º)

Na semana 14 teremos uma preferência pelo Jaylen Samuels, mas não se assustem se Stevan Rydley acabar tendo uma pontuação melhor. O próximo jogo é bom. E os dois têm boas chances.

A grande vantagem do Samuels reside de fato nele poder ser usado num slot de TE em ligas do yahoo o que te leva a escalar 3 jogadores com upside de RB numa liga padrão, o que é uma grande vantagem. Nos demais jogos dos playoffs ainda acredito que Conner volta a ser destaque.

Tarik Cohen – LAR (20º), GB (14º), SF (16º)

Em 2018, Cohen tem sido o melhor RB dos Bears e muito se deve ao seu apoio no jogo aéreo, que lhe garante 1 ponto standard por toque na bola e ainda mais em PPR. Ele é essencial, junto à forte defesa, para que Chicago retorne aos playoffs após alguns bons anos.

RECEBEDORES

Tyreek Hill – BAL (32º), LAC (20º), SEA (12º)

Se você tem dúvidas sobre se deve escalar Tyreek Hill ou não, insistimos no argumento: se seu QB é à prova de confrontos (Mahomes), porque não investir em um de seus dois principais recebedores (ao lado de Kelce)?

Além disso, time bom e que luta pelo título não pode escolher adversário no caminho (ainda mais brigando pelo direito de jogar os playoffs em casa).

George Kittle – DEN (12º), SEA (24º), CHI (23º)

Quem lembra o que falamos de Jared Cook vai conhecer aqui um dos TEs consistentes que se conta nos dedos da mão. Kittle é o principal recebedor dos Niners, que já usaram três QBs diferentes esse ano. Prato cheio para um tight end. Kittle têm confrontos duros, mas isso é superado pelo volume esperado na sua direção.

É isso aí, pessoal! Toda estratégia é pouca quando se fala de jogar fantasy football, e toda informação a mais faz a diferença. Conte conosco para melhorar ainda mais seu jogo e se divertir. Boa sorte nos playoffs!

Apêndice

Força da Tabela Especial de Playoffs – Confira!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.