Crônicas dos Confrontos – Semana 16 – Jogo Corrido

Salve meu povo! Bem-vindos! Espero que tenham vindo das Crônicas dos QBs, pois cada uma das três seções será, no mínimo, um artigo livre, leve e solto sobre mais do que fantasy football, mas também uma análise sobre o desenho da temporada do esporte que amamos! Mas vamos ao que interessa! Running backs em destaque em 3, 2, 1…


Bengals x Browns

Como sair de 0 para 6 vitórias (por enquanto)? Pergunte aos Browns  pós-Hue Jackson! Ainda há uma pontinha de esperança de playoffs pra eles, mas eu penso é que a franquia já ganhou seu título este ano com um trabalho muito bom sobretudo destes jogadores!

No duelo da AFC North, é possível esperar que os Browns se sobressaiam, ainda mais com os Bengals remendados como estão.

Assim sendo, Nick Chubb (RB1) e Joe Mixon (RB1) são escalações obrigatórias. Duke Johnson é tiro de sniper em liga grande e olhe lá.

Buccaneers x Cowboys

Cowboys só precisam empatar para garantir a NFC East, mas o mais provável é que vençam os eliminados Bucs para fugir de um possível confronto com o pior entre Saints, Rams e Bears.

No estábulo, Ezekiel Elliott (RB1) tem um dos maiores tetos a se explorar contra a defesa de Tampa. Já Peyton Barber (RB2 baixo) terá suas chances, mas não tenha certeza de boa pontuação. Os demais corredores da partida não têm relevância para o confronto.

Vikings x Lions

Os Lions estão eliminados, mas devem estar a fim de atrapalhar a vida dos rivais de Minnesota. Só que Dalvin Cook (RB1) está em boa fase e, no esquema ofensivo renovado, as corridas devem imperar. Latavius Murray é aquela eterna esperança de goal line.

Enquanto isso, os Lions, sem Kerryon Johnson, vão pra cima com LeGarrette Blount (flex com upside), Theo Riddick (flex em ligas grandes PPR) e Zach Zenner (flex em ligas grandes). A situação questionável de Blount é essencial para saber o potencial de Riddick e Zenner.

Bills x Patriots

Sou obrigado a esperar que tudo possa acontecer nesta partida após ver os Patriots perderem cinco partidas de temporada regular pela primeira vez na minha vida. Os Bills são imprevisíveis e vencem quando menos se espera; essa é a verdade.

Dito isto, não tem corredor “top das galáxias” nessa partida, já que o teto de Sony Michel e Keith Ford (quem?) é de RB2. Quem tem LeSean McCoy deve acompanhar as notícias para saber se ele joga. Quanto a James White, um flex em PPR é o máximo que espero.

Packers x Jets

Elijah McGuire (RB2) voltou da IR e lá deixou Isaiah Crowell. A verdade por trás disso é que ele está jogando bem nessa reta final de fantasy. Nessa partida ganhável, haja vista a bagunça em GB, Elijah tem chances de manter a boa fase.

Jamaal Williams (flex) herdou o backfield comandado por Aaron Jones (outro na IR), só que isso não representa um teto grande para ele, pois os Jets fazem jogo duro para RBs menos gabaritados (coisa que eu penso de Williams).

Texans x Eagles

Imagino que Lamar Miller (RB1) fique de fora dessa partida ou jogue limitadamente, a julgar que iniciou a semana de treinos em marcha lenta. Assim sendo, é provável que Alfred Blue herde seu teto contra os Eagles, ou melhor, aproveite parte dele, pois Houston não é um daqueles lugares em que qualquer RB serve (Pittsburgh, Kansas City).

Em Philadelphia, Wendell Smallwood (RB2) assumiu as rédeas e anotou 2 TDs contra os Rams. São dois times brigando por playoffs, então a participação dos RBs no jogo aéreo deve acontecer muito.

Falcons x Panthers

Jogo duro entre rivais “eliminados” na NFC South. Os Panthers estão por um fio e devem poupar Cam Newton, indicando a bandeira branca do time para este ano. Com isso, Christian McCaffrey (RB1) deve ter um teto mais baixo que o esperado contra a defesa mais leniente com líderes de backfield.

Os Falcons, que nada têm a ver com isso, vão tentar uma vitória com um Tevin Coleman (flex) em má fase, embora tenha mitado contra os Cardinals (que não são parâmetro).

Giants x Colts

Quem precisou de Saquon Barkley (RB2) semana passada caiu do cavalo com a única atuação ruim do calouro em ligas standard. E olhe que avisamos. Nesta semana 16 o calouro terá confronto menos complicado nos Colts.

Por outro lado, Marlon Mack (RB1) tem ótimo confronto em jogo para manter as esperanças de playoffs para os Colts.

Jaguars x Dolphins

Leonard Fournette (RB1) foi uma das decepções do ano por ter jogado tão pouco (e tão abaixo) das expectativas de quem o draftou nas primeiras rodadas. Caso retorne a jogar nesta semana, tem confronto favorável para explorar.

Atrás de Colts e Titans na briga pela última vaga de wild card (pois a outra é da AFC West), Miami não contará com o perene Frank Gore (mais um na IR 😢) nesta reta final, o que significa liderança indiscutível para Kenyan Drake (flex) e mais volume para Kalen Ballage. Este é um jogo em que acredito numa vitória suada dos Dolphins.

[UPDATE: 23/12/2018 11:14 BRST] Especialistas do porte de Matthew Berry indicam Ballage como o líder do backfield e Drake sendo mais utilizado em situações de passe.

Rams x Cardinals

O que dizer dessa partida? Um confronto na NFC West entre um classificado (Rams) e um eliminado (Cardinals), porém com os Rams em recaída e a perigo de perder a semana de bye no wild card (Bears de olho).

Some-se a isso a lesão no joelho que acomete Todd Gurley (RB1), embora o técnico Sean McVay esteja confiante que TGIII jogue domingo. De toda sorte, muitos times por aí já estão com John Kelly (flex) em seus bancos observando de perto, enquanto outros em ligas maiores esperam que seja C.J. Anderson o cara a aproveitar as chances de goal-to-go, mas ele não é nem um pouco confiável para uma final de fantasy.

Os Cardinals, por sua vez, contam com ninguém menos que David Johnson (RB2) em seu backfield, o qual tem confronto razoável. Chase Edmonds é aposta de ligas grandes para a linha de gol, como é Latavius Murray.

Bears x 49ers

Esse é um jogo para o campeão da NFC North mostrar que quer mesmo ir longe neste ano: muito mais para dizer que não vai relaxar do que para vencer um adversário relevante (que já o fez contra os Rams!).

Tarik Cohen (RB2) terá algum espaço para puxar seu ataque, como ele têm feito esse ano. Jordan Howard corre por fora (nenhuma piada pretendida).

Nos 49ers a questão é complicada, dado o adversário que limita as investidas terrestres. Assim, Matt Breida (flex) tem teto bem baixo, que dirá os demais RBs do time.

Steelers x Saints

Jogo de grandes implicações para a pós-temporada. Com uma vitória, os Saints garantem mando de campo até a final da NFC (e os Ravens se interessam nisso para ultrapassar Pittsburgh na liderança da AFC North), ao passo que os Steelers precisam vencer para guardar a pequena distância que o separa dos próprios Ravens, além de Colts e Titans.

Sobre a partida, tratam-se de duas defesas que contêm os corredores e limitam suas pontuações. Num jogo que vale muito, isso não deve mudar. Assim, Jaylen Samuels (flex) e Alvin Kamara (flex) são apostas de risco em um confronto que promete mais ação aérea que terrestre. Pra quem está em ligas maiores, quem sabe o Mark Ingram não faz uma gracinha num goal-to-go?

Chiefs x Seahawks

Outro jogo importante para os dois lados: Chiefs podem garantir até uma folga na rodada de wild card se vencer e os Chargers perderem, fora o título da AFC West, enquanto os Seahawks podem carimbar seu passaporte para os playoffs caso vença.

A promessa é de batalha terrestre com dois ataques respeitáveis, sobretudo o de Seattle e suas mais de 2000 jardas na temporada. Ter os Chiefs como adversários é receita de sucesso para Chris Carson (RB1) com alguma sobra para Mike Davis (flex em ligas maiores).

Enfrentar os Seahawks também é bom negócio, e provavelmente será Damien Williams a explorar o teto de RB1 que temos aqui, caso Spencer Ware não tenha condições de jogo.

Vai ser um Sunday Night agitado!

Broncos x Raiders

Por fim, o Monday Night traz dois eliminados da mesma divisão, a AFC West: Broncos e Raiders jogando pela honra.

Boa expectativa para o calouro sensação Phillip Lindsay (RB1) e seu ano fantástico para quem o achou na waiver wire. Não podemos ter o mesmo otimismo com Doug Martin (RB2) e Jalen Richard (flex PPR). Denver tem tudo para vencer caso se porte bem nas três fases do jogo.


Agora devolvo vocês para o Matheus para conferir o que considero o mais difícil de decidir em qualquer escalação: a turma do jogo aéreo!

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.