Opções para reforçar seu time na waiver wire para a semana 2

em

Caros amigos, acabou o sofrimento! Não há mal que sempre dure; a NFL está de volta.

Claro que Madame, minha esposa, não concorda com isso. Este ano ela gravou até um vídeo pra mandar pro nosso grupo de uma antiga, e concorrida liga, reclamando que chegou a hora dela ficar com meio marido. Ao que um amigo respondeu (obviamente não na frente dela) que a estava achando muito otimista: no máximo, vai ter 10% de um marido. É por aí mesmo.

Agora a situação está ainda pior. Pela primeira vez, assinei o Game Pass da NFL e lhes digo que nunca gastei tão bem um dinheiro em minha vida. Domingo foi passado todo na frente do Redzone Channel, a oitava maravilha do mundo contemporâneo. Se ainda havia alguma dúvida da importância do fantasy para o esporte, o Redzone Channel é a resposta. Chega a ser covardia para degenerados por fantasy como nós. Recomendo muito! (Patrocina nós, NFL!)

Semana 2 é hora de exagerar na reação. Algumas atuações foram tão espetaculares que os amigos devem estar ansiosos para contratar Holywood Brown ou TJ Hockenson. É compreensível. Mas vai o conselho, que repito todos os anos: os movimentos mais importantes das semanas 2 e 3 não são pegar os jogadores da waiver wire, mas aproveitar os bons nomes que os coleguinhas se apressam em descartar. Se foram draftados, é porque têm, a princípio, maior valor do que os que ficaram de fora. Cuidado com a hype e olho nessa galera!

Para ilustrar, trouxe alguns dos jogadores recomendados neste mesmo espaço ano passado: Ryan Grant, TJ Yeldon, Dede Westbrook, Keelan Cole, John Brown, Austin Ekeler, Phillip Lindsay, Mike Williams, entre outros… Como o amigo pode ver, aproximadamente metade se firmou, realmente.

Mas este ano estou bem mais confiante. A renovação veio mais forte. Se bem que fantasy é isso mesmo, esperança e… sofrimento!

Vamos às indicações da semana.

Adrian Peterson e Chris Thompson,  RB, Washington Redskins

Darrius Guice deve ser um dos jogadores mais azarados da NFL. Muito badalado, de novo se machucou com alguma seriedade, devendo se afastar por várias semanas. Entram o veterano Adrian Peterson, cortado da primeira partida, e Chris Thompson, um dos melhores RBs recebedores de passe da liga. Thompson era visto como uma possível superestrela na temporada 2017. Em 2018, no que deveria ser seu ano, se machucou. Já foi bem contra os Eagles, quando foi o jogador mais acionado do time, com 7 recepções (em 10 targets) e 3 corridas. Não tem, contudo, a característica de um 3-down RB, razão pela qual Adrian Peterson, que parece não ficar velho, volta à posição de titular, em um duro jogo contra os Cowboys em casa.

Jamison Crowder, WR, New York Jets

Crowder é um jogador de quem se esperava que explodisse ano passado, virando um verdadeiro superstar do fantasy, jogando por Washington. Não rolou, mas vinha sendo apontado como um dos grandes destaques da pré-temporada. E de fato, como o amigo deve estar cansado de ouvir a essa altura, se tornou o primeiro jogador a ter 14 recepções numa partida (em incríveis 17 acionamentos!) e menos de 100 jardas. Fantasy é um jogo, primeira e principalmente, de volume, e ninguém superou Crowder nesse quesito na primeira rodada.

John Brown, WR, Buffalo Bills

O bom entrosamento de Brown com Josh Allen foi destaque na preseason. Experiente, preciso e ainda muito rápido, Brown foi o líder de recepções dos Bills, com 7 em 10 acionamentos (por sinal, Cole Beasley teve 5 em 9, números para ficar de olho). Não deve ser um episódio isolado. Brown é um WR 2 na maioria das rodadas daqui para a frente.

TJ Hockenson, TE, Detroit Lions

A defesa de Arizona deve ser uma mãe para os adversários este ano (assim como a de Miami…), mas isso não tira o mérito do calouro Hockenson, que bateu o recorde de jardas por um TE em sua estréia na liga, com 131 e um TD. Deve ter sido também o primeiro TE a iniciar a carreira com um empate, mas isso é outra história. Foi acionado 9 vezes, número alto para a posição. Nem sempre Detroit vai usar tanto o jogo aéreo, mas a simples observação mostra um jogador do nível dos melhores da posição. TE 1 daqui por diante.

Darren Waller, TE, Oakland Raiders

Se você está em alguma liga comigo, não vai conseguir pegar Waller, porque draftei o cidadão em todas as que participo. Efeito da hype causada por Hard Knocks este ano… Um WR de origem convertido para a posição de TE, Waller é muito rápido e se alinha em praticamente todas as posições de recebedor. Além de uma ótima linha (8 targets, 7 recepções e 70 jardas), o mais importante é que Waller permaneceu em campo em 100% dos snaps do time. Se seu TE nunca sai de campo, você tem ótimas chances de pontuar.

Marquise Brown, WR, Baltimore Ravens

Que estréia do calouro, primo do Brown mais famoso. Marquise “Hollywood” Brown deixou os marcadores comendo poeira, marcando dois TDs nos dois primeiros passes que recebeu como profissional. É muito, muito rápido, mas parece, pelo menos por enquanto, um jogador que oferece grande teto e um piso ainda desconhecido. Arriscado colocar como titular, pelo menos por enquanto, mas uma adição obrigatória no elenco.

Terry McLaurin, WR, Washington Redskins

Outro calouro que impressionou, Scary Terry surpreendeu com 5 recepções para 125 jardas e 1 TD na derrota dos Redskins para os Eagles. Tem muita velocidade para passes longos, e, importante, quase não saiu de campo, participando de 93% dos snaps. Por sinal, uma curiosidade: quem foram os únicos RBs que participaram de todos os snaps de seus times? CMC e Bell.

Malcolm Brown, RB, Los Angeles Rams

Em meio às preocupações com a saúde de Todd Gurley, havia muita expectativa sobre quem dividiria as corridas com o titular. O primeiro jogo esclareceu. Gurley está aparentemente bem, e teve a maioria das carregadas, mas Brown se mostrou à frente de Darrell Henderson Jr., e, além de correr 11 vezes, marcou 2 TDs. Para quem tem Gurley, é uma contratação obrigatória; para quem não tem, um ótimo jogador para funcionar como flex.

John Ross, WR, Cincinatti

Talento ele tem de sobra. Há muito tempo se esperava de Ross a atuação que teve domingo contra Seattle, com 7 recepções para 158 jardas e 2 TDs, mesmo contra uma boa defesa, em um dos três estádios mais hostis para os visitantes. Na ausência de AJ Green, e contra San Francisco na semana 2, Ross é uma ótima aposta como titular.

urubu

Neste espaço, listamos alguns jogadores que têm valor pelas contusões ou baixo desempenho dos titulares. São os beneficiários da carniça:

Giovani Bernard, RB, Cincinatti Com a contusão de Joe Mixon, assume o backfield de um time que sabe correr com a bola. Vai ter a chance de mostrar porque assinou um bom contrato antes do começo da temporada.

Mecole Hardman, WR, Kansas City Chiefs  Forte candidato a próximo calouro sensação, numa temporada cheia deles.

DJ Chark, WR, Jacksonville Jaguars – Mostrou ótimo entrosamento tanto com Nick Foles quanto com o seu substituto, Gardner Minshew.

Trey Quinn, WR, Washington Redskins – Outro Redskin? Outro Redskin. Esse tem tudo pra ser o novo Adam Thielen, pode acreditar.

Ted Ginn Jr.  – Saudável e jogando com Drew Brees, tudo pode acontecer no campo.

Boas compras e boa sorte na semana 2!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.