Crônicas dos Confrontos – Buccaneers x Panthers

em

Fala, galera!

Como vocês foram na semana 1? A estreia da temporada trouxe muitas surpresas (positivas e negativas), mas tenham calma! Não joguem semanas (ou meses) de análise na lata do lixo por conta de um jogo, ok?

O problema de colocar suas expectativas num jogador exclusivamente pela rodada de abertura da temporada é, justamente, o fato de não termos amostragem suficiente para cravar verdades absolutas.

Podemos começar a desenhar tendências? Sim, mas sem ignorar anos de histórico das pontuações dos jogadores e o estudo da offseason.

Dito isso, vamos analisar o confronto que abre a semana 2 da temporada, Tampa Bay Buccaneers (0-1) x Carolina Panthers (0-1).

QUARTERBACKS

cam

Alguém aí sofreu, semana passada, com os QBs dessas equipes? Pois é, eu também. Começando com Jameis Winston (194 yds, 1 TD, 3 INT), muito se esperava do trabalho do “guru de quarterbacks”, Bruce Arians, que passou a ser o mentor de Winston nessa offseason. Pouco se viu.

Durante sua carreira, o quarterback de Tampa sempre foi oscilante em campo, mas no último domingo ele só demonstrou o seu pior lado: leituras preguiçosas, passes forçados e dificuldade em lidar com a pressão.

No fantasy, entretanto, Winston é um cara que se acostumou a pontuar bem, mesmo com as várias interceptações, por compensar, principalmente, nas jardas passadas e na improvisação com as pernas. Infelizmente, não foi o que aconteceu na estreia.

Para essa semana, imagino uma evolução de desempenho no quarterback dos Buccs, mas escalá-lo aqui envolve muito risco e só pensaria nele nas ligas com 16 times ou mais, numa situação em que precisasse arriscar.

Pelos Panthers, Cam Newton (239 yds, 0 TD, 1 INT, 72.1 RTG) não foi muito melhor. Quem assistiu ao jogo, viu um QB que parecia enferrujado e sem muita confiança no braço após uma cirurgia no ombro.

Entretanto, dentro de casa e diante de uma defesa bem pior que a enfrentada na week 1 (LAR), Newton deve se recuperar da fraca atuação, entregando uma boa pontuação nessa semana. Valor de QB titular para ele, reatando o relacionamento com quem o escalou e se decepcionou no domingo.

JOGO CORRIDO

chris

Surpresa em Tampa! Quem esperava Peyton Barber dominando o backfield, viu um Ronald Jones entrando em seu segundo ano com bom volume e correspondendo com uma sólida atuação.

Em 13 carregadas, “RoJo” acumulou 75 jardas, alcançando uma ótima média de 5.77 jardas por tentativa e, nesse momento, é o jogador mais confiável nesse jogo corrido, possuindo valor de FLEX nessa semana; tô sentindo um cheiro de TD do menino.

Por enquanto, Peyton Barber e Dare Ogunbowale são jogadores para deixar no banco e observar. O primeiro, pela decepção da semana passada (apenas 33 jardas em 8 corridas) e o segundo, por não haver qualquer certeza de que continuará tendo as (boas) oportunidades que recebeu no jogo de estreia. De toda forma, esse backfield ainda é muito confuso e todo cuidado é pouco, beleza?

19 tentativas de corrida, 10 recepções, 209 jardas totais e dois touchdowns? Christian McCaffrey (RB1), baby! A escolha top 3 de 99% dos drafts correspondeu logo de cara e mostrou que veio para brilhar no fantasy novamente. As expectativas estão nas alturas com McCaffrey para essa e para todas as rodadas. Coloca o menino e espera o show!

JOGO AÉREO

mike

Draftado no segundo round da grande maioria das ligas, Mike Evans deixou muita gente na mão e assustou a turma do fantasy. Pessoal, não existe a menor chance dessa decepção se tornar padrão na temporada de um jogador que possui 400 recepções, mais de 6.000 jardas e 40 TDs desde que entrou na liga. Evans não se lesiona, sempre vê muitos targets e continua com valor de WR1. Acredito que a recuperação vai começar hoje!

Mesmo no caos do ataque na semana 1, Chris Godwin teve uma boa pontuação graças ao touchdown anotado. Entretanto, não ache que isso foi uma surpresa! Desde o ano passado, ele é um dos jogadores com mais bolas lançadas na redzone e deve continuar assim. Além disso, caso Winston melhore, ele deverá receber mais passes no slot, o que contribui para o valor de WR2 que ele tem.

Finalizando os Buccs, O J Howard (TE) teria conseguido uma pontuação razoável em ligas PPR, não fosse o fumble sofrido contra os 49ers no domingo. Assim, é provável que vejamos uma consolidação do TE de Winston nesse ano e você pode escalá-lo contra os Panthers sem problemas.

Em ligas PPR, D J Moore foi o destaque entre os recebedores dos Panthers, chegando aos 12 pontos, o que é bom, mas longe do que esperamos. Contra a fraca secundária dos Buccs, Moore pode abusar do volume de bolas em sua direção e da sua habilidade de jardas após a recepção; valor de WR2 para ele.

Curtis Samuel teve uma semana tímida, recebendo apenas 3 passes para 32 jardas. Porém, como eu disse antes, precisamos levar toda a offseason em consideração e não apenas a partida de estreia; nessa perspectiva e analisando o confronto, Curtis possui valor de FLEX na week 2.

Em relação ao TE Greg Olsen, podemos dizer que ele foi mediano na estreia, recebendo 4 passes para 36 jardas contra os Rams. Nessa próxima partida, a chance de TD é boa e ele possui certo piso se levarmos em conta a posição em que atua, tendo valor de TE titular, principalmente nas ligas com mais de 12 times.

Por hoje é isso, meus amigos! Aos que possuem jogadores nesse TNF, boa sorte! Aos viciados que estão lendo o texto mesmo sem ter, estão no caminho certo! A todos, me despeço com o convite para que leiam as crônicas de todos os confrontos da rodada no fim de semana. Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.