Jogadores para mirar na 2 ª metade do Draft 2020

em

Aqui na coluna apresentarei alguns nomes de QBs, RBs, WRs e TEs que estão saindo a partir da 8ª rodada e que tem potencial para superar esses valores no decorrer da temporada. Usarei os ADPs para ligas PPR de acordo com o site https://fantasyfootballcalculator.com/adp/ppr.

Quaterbacks

Cam Newton – Patriots (10.12)

FOXBOROUGH, MASSACHUSETTS – AUGUST 18: Cam Newton #1 of the New England Patriots looks on during training camp at Gillette Stadium on August 18, 2020 in Foxborough, Massachusetts. (Photo by Steven Senne-Pool/Getty Images)

Cam Newton é meu alvo em todas as ligas Redraft com 1QB porque ele é um dos jogadores apelativos da posição por causa do jogo terrestre e estar quase de graça nos Drafts. Pra mim essa é a combinação perfeita de um QB, um piso que não vai me deixar na mão e estar disponível no final do Draft.

Como eu já falei, o que me chama a atenção é o piso de Cam Newton, então vamos aos números. Cam Newton em seus anos como titular em Carolina teve média de 38.4 jardas terrestres e 0.47 TDs corrido por jogo, o que lhe garantiriam uma média de 6.7 pontos por jogo, o piso a que me refiro. Para efeito de comparação, Josh Allen do Buffalo Bills teve em 2018 uma média de 6.56 pontos por jogo como “corredor” e está saindo na posição 7.12 do Draft.

Com esse piso bastaria a Super Cam ter uma performance mediana e ele seria um QB1. Por exemplo, vamos pegar o Joe Flacco, um QB completamente imóvel e que teve um rendimento péssimo no ano de 2019 com uma média de 11.24 pontos (a 37ª de 2019). Com o piso da carreira e um ano Joe Flacco, Cam teria uma média de 17.94 pontos por jogo, o que o teria deixado como QB13 no ano, a frente de Carson Wentz, Tom Brady, Aaron Rodgers entre outros. Esse pra mim é o atrativo de um QB móvel especialmente quase de graça. Esse é o pior que pode acontecer com Cam (sem contar lesão, mas isso vem mais a frente), agora e se ele for melhor que o péssimo Flacco versão 2019.

Cam Newton nunca fui o melhor QB passando a bola, mas ele é bem melhor que a versão 2019 de Flacco. Considerando apenas o jogo aéreo, sua pior média foi em 12.76 em 2017, mais de 1.5 acima do ex QB dos Broncos. Se você pensa que ele não terá alvos agora em New England, Julian Edelman, James White, N’Keal Harry e Mohamed Sanu não podem ser considerados piores que Tedd Ginn Jr, Devin Funchess, Mike Tolbert e Corey Brown, que foram os jogadores que mais receberam TDs no ano em que o QB foi MVP em Carolina ao passar para 35 TDs. Jogando com Bill Belichick e Josh McDaniels, Cam deve jogar num ataque extremamente dinâmico e que vai saber explorar todas as suas qualidades e com todas as dificuldades dos RBs do roster, talvez caiba a ele as corridas na RedZone.

A principal questão que cerca Newton é sua condição física. Quanto a isso eu prefiro acreditar a opinião dos especialistas que dizem que ele deve estar recuperado, como o https://twitter.com/ProFootballDoc que costuma ter opiniões certeiras sobre as lesões na NFL.

Jared Goff – Rams (13.03)

CLEVELAND, OH – SEPTEMBER 22: Jared Goff #16 of the Los Angeles Rams walks off of the field after defeating the Cleveland Browns 20-13 at FirstEnergy Stadium on September 22, 2019 in Cleveland, Ohio. (Photo by Kirk Irwin/Getty Images)

Jared Goff teve um 2019 muito ruim e terminou o ano com a 15ª posição na pontuação geral e se olharmos para a média de pontos, ele cai ainda mais com 15.89 pts/jogo ele fica com a 23ª melhor média entre os QBs. Por conta disso Goff é o 17º QB a sair no Draft na 11ª rodada, o que o torna um ótimo valor em 2020.

Em 2019, Jared Goff teve seu pior rendimento desde que Sean McVay se tornou seu HC, com 22 TDs, 16 INTs e um QBR de 48.5, todos seus piores números desde 2017. Essa queda de produtividade do ataque dos Rams deve-se ao baixíssimo rendimento da linha ofensiva que, segundo o PFF, foi a 6ª melhor em 2017 e 2018, mas em 2019 foi 31ª, ou seja, a segunda pior da NFL. Isso afetou muito o ataque terrestre dos Rams, que já contavam com um RB com problemas físicos, o que é evidenciado pelos números e o play action que era uma das melhores armas de Jared Goff. Com esse problema na OL, McVay fez uma mudança que fez o ataque dos Rams ressurgir é esse ponto que me leva a acreditar no potencial de Goff para 2013.

Após uma derrota em casa para o Baltimore Ravens por 45 a 6 na 12ª rodada, os Rams mudaram do 11 personnel para o 12 personnel, trocando um dos WRs por um TE. Isso ajudou a linha ofensiva, pois era mais um jogador para bloquear, o deu mais conforto ao QB que teve 5 ótimos jogos para o fantasy.

Levando apenas os primeiros 11 jogos em conta, Jared Goff teve média de 13.24 pontos, o que lhe daria a 33ª colocação, ficando atrás de Kyle Allen, já nos últimos 5 jogos, sua média subiu para 20.69 pontos, empatado com Drew Brees na 8ª posição. O que ajuda a explicar é a melhora em sua eficiência, até a semana 12 Goff tinha 2.7% de TD% (a cada 100 passes tentados ele lançava 2.7 TDs), ou seja ele precisava de 37.23 tentativas de passe para lançar um TD, enquanto que nas 5 rodadas finais seu índice subiu para 5.1% e ele passou a precisar de 19.64 tentativas para lançar um TD. Assim como com os TDs, as interceptações também melhoraram e nesse caso diminuíram, o índice INT% caiu 2.9% para 1.9%. Essa melhora na eficiência, claro, aumentou seus TDs por jogo (de 1 para 2.2) e na queda das INTs (1.09 por jogo contra 0.8).

O que me deixa otimista para 2020 é que o índice de TD% dos últimos jogos é menor que os de 2017 e 2018, 5.9% e 5.7%, respectivamente, e o INT%, ficou entre os dos anos anteriores, 1.5% e 2.5%, portanto são índices totalmente exequíveis e é dessa forma que Goff pode se tornar um QB1 no fantasy com mais TD e menos INTs, já que ele não ganha jardas correndo. Com esses índices ele teria passado mais 10 TDs e 4 menos INTs, resultando em mais 44 pontos, levando-o para Top-12 na média de pontos por jogo.

Running Backs

Matt Breida – Dolphins (8.02)

KANSAS CITY, MO – AUGUST 24: Matt Breida #22 of the San Francisco 49ers rushes during the game against the Kansas City Chiefs at Arrowhead Stadium on August 24, 2019 in Kansas City, Missouri. The 49eres defeated the Broncos 27-17. (Photo by Michael Zagaris/San Francisco 49ers/Getty Images)

Matt Breida foi trocado do San Francisco 49ers para o Miami Dolphins. Ele sai de um backfield em que poderia ser a 4ª opção e chega em Miami onde estará em uma disputa por toques com Jordan Howard, assinado na free agency.

Ainda que Howard fique com o papel de titular, Breida deve ser bastante usado no backfield de Miami e ele mostrou eficiência com poucos toques em San Francisco, com médias de mais de 5 jardas por carregada em suas duas temporadas. Mesmo sendo titular, Howard não será muito envolvido no jogo aéreo e aí que Matt Breida fará muitos pontos.

Matt Breida mostrou qualidade recebendo passes na NFL mesmo com pouca utilização, recebendo mais de 85% dos passes na sua direção e 8.2 jardas por recepção, enquanto Howard sempre se mostrou um RB que não consegue participar das jogadas aéreas, recebendo em média 2 passes a cada 3 na sua direção. Miami gosta tanto de Breida recebendo que alguns repórteres já dizem que o time pensa em alinhá-lo como WR em alguns snaps.

Olhando o O/U de Miami, Las Vegas espera que o time tenha a 5ª pior campanha da NFL em 2020, o que significa que jogará a maior parte dos jogos atrás do placar, forçando o passe e precisando de um RB recebedor em campo. Por conta disso, Breida deve ser o maior pontuador dentre os RBs, especialmente em ligas PPR e será um ótimo valor em Drafts.

Zack Moss – Bills (8.07)

SAN ANTONIO, TX – DECEMBER 31: Zack Moss #2 of the Utah Utes runs the ball defended by Ayodele Adeoye #40 of the Texas Longhorns in the second half during the Valero Alamo Bowl at the Alamodome on December 31, 2019 in San Antonio, Texas. (Photo by Tim Warner/Getty Images)

Enquanto muitos achavam que a saída de Frank Gore aumentaria o papel de Devin Singletary no ataque dos Bills, o time decidiu draftar Zach Moss e anunciou que o vê como substituto de Frank Gore no ataque. Qual é esse papel?

Frank Gore começou o ano como titular e dominou o backfield, mesmo com Devin Singletary mostrando uma eficiência muito maior, porém uma lesão no segundo jogo tirou o calouro de 3 jogos. Após a volta de Singletary, o veterano continuou mandando no backfield, mas sem nenhum resultado, até que a troca foi feita na rodada e o calouro nunca mais teve menos que 14 carregadas em um jogo.

Uma coisa Frank Gore nunca perdeu para Singletary e é bem na parte mais valiosa para o fantasy, a Goal Line. Frank Gore foi responsável por 55% das corridas dentro das 10 jardas, enquanto Singletary, por 9%, dentro da linha de 5, 61% contra 11% para o veterano. Mesmo mais eficiente, o calouro não era confiado com o trabalho de empurrar a defesa para a End Zone.

Esse é um papel que Zack Moss pode assumir facilmente, pois ele mostrou essa capacidade no College. Considerando que os Bills querem diminuir as corridas de Josh Allen a fim de preservá-lo e que ele foi responsável por 9 TDs na RedZone, Moss poderia terminar o ano com mais de 10 TDs.

Só os TDs já fariam de Moss um jogador relevante para o fantasy, mas seu filme no College mostrou um RB capaz de roubar o posto de Singletary, pois é um jogador com ótima visão e muito talento. Eu não me surpreenderia se Moss terminasse o ano como líder do backfield, no campo e no fantasy.

Damien Harris – Patriots (10.06)

NASHVILLE, TN – AUGUST 17: Damien Harris #37 of the New England Patriots runs the ball during a game against the Tennessee Titans during week two of the preseason at Nissan Stadium on August 17, 2019 in Nashville, Tennessee. The Patriots defeated the Titans 22-17. (Photo by Wesley Hitt/Getty Images)

O Backfield do New England Patriots está tão cheio quanto o metrô na hora do Rush, com Sony Michel, James White, Rex Burkhead, Lamar Miller, Brandin Bolden e Damien Harris, e sem um líder conhecido. Todos estavam no elenco na temporada de 2019, com exceção do recém assinado Lamar Miller. A seguir uma tabela da distribuição da participação de cada um.

Jogadorcorridas fatiarecepçõesfatia
Sony Michel24762,1%2012,2%
James White 6716,8%9557,9%
Rex Burkhead 6516,3%3823,2%
Brandon Bolden153,8%116,7%
Damien Harris41%00
Toques dos Running Backs dos Patriots em 2019

Como podemos ver, Sony Michel era responsável pelas corridas e James White pelo jogo aéreo, enquanto Rex Burkhead e Brandon Bolden funcionavam como canivetes suíços. Para a temporada 2020, White tem seu papel de pass-catcher assegurado, mas não deve ter tantas corridas, já que 67 foi sua segunda maior marca na carreira e ele não aguenta tantas, devido ao seu tamanho, portanto é pelo papel de Michel que Damien Harris entra para disputar.

Sony Michel teve um ano de 2019 bem complicado fisicamente e com eficiência. Ele foi o 2º pior jogador em jardas após o contato e um dos piores evitando tackles, além se ser ruim recebendo passes, recebendo apenas 60% dos passes na sua direção. No presente, ele acaba de sair do PUP depois de passar por uma operação no pé e só então começou a treinar, o que põe em dúvida sua disponibilidade já na semana 1.

Enquanto isso, Damien Harris vem impressionando nos treinamentos, mostrando até mesmo capacidade no passe, o que pode lhe render um cargo de titular já na primeira semana e, dependendo da performance, pode não perder mais a posição. Olhando para os RBs que estão junto de Harris no draft (Edmonds/Mattison/Henderson/Dillon), ele é o único que pode obter a titularidade sem uma lesão, além de Sony já ter um histórico extenso de lesão, o que também o levaria a posição.

Boston Scott – Eagles (11.04)

EAST RUTHERFORD, NEW JERSEY – DECEMBER 29: Boston Scott #35 of the Philadelphia Eagles scored a touchdown against Lorenzo Carter #59 of the New York Giants during the third quarter in the game at MetLife Stadium on December 29, 2019 in East Rutherford, New Jersey. (Photo by Sarah Stier/Getty Images)

Boston Scott é um RB miniatura recebendo passes e evitando tackles, rápido e muito ágil. Se você se lembrou da pulguinha atômica Darren Sproles, você não está sozinho, a comissão do Philadelphia Eagles, antigo time de Sproles e atual time de Scott, fez a mesma comparação.

Miles Sanders deve ser o principal jogador do backfield tanto nas corridas quanto nos passes, mas num ataque que promete ser muito produtivo na temporada você pode ter o reserva sendo um bom flex se ele receber passes suficientes, especialmente em ligas PPR.

O corpo de recebedores de Philadelphia, como sempre, já tem alguns problemas. Alshon Jeffery deve começar a temporada no PUP e perder as seis primeiras partidas, Dallas Goedert fissurou o dedão e terá que jogar com uma bandagem, Marquise Goodwin não jogará a temporada por conta da COVID. Graças a isso, Boston Scott pode ter um trabalho expandido recebendo bolas, pelo menos no início da temporada.

Nyheim Hines – Colts (13.05)

INDIANAPOLIS, IN – NOVEMBER 17: Nyheim Hines #21 of the Indianapolis Colts spikes the ball after scoring a touchdown during the fourth quarter of the game against the Jacksonville Jaguars at Lucas Oil Stadium on November 17, 2019 in Indianapolis, Indiana. (Photo by Bobby Ellis/Getty Images)

Nyheim Hies está saindo quase de graça nos Drafts e pode ter uma temporada muito boa nos Colts. Ele divide o backfield com Jonathan Taylor e Marlon Mack, dois jogadores não muito conhecidos como pass-catchers (apesar de eu considerar que Taylor só precisa de oportunidade, mas isso é outra conversa), enquanto Hines é muito bom na tarefa.

Marlon Mack nunca teve mais que 21 recepções em um ano, mesmo sendo o RB1 dos Colts nos últimos dois anos e Jonathan Taylor nunca teve mais que 26 em seus anos em Wisconsin, já Nyheim Hines chegou a receber 63 bolas em seu primeiro ano, quando terminou como RB27 no ano. Hines foi o 8º RB com mais recepções quando teve Luck, com Brissett ele foi o 17º; agora, talvez ele tenha o maior aliado que poderia ter para um aumento no ranking.

Philip Rivers, o novo QB de Indianapolis, o líder de checkdowns na NFL desde 2017, 124. Austin Ekeler teve, em 2019, 92 passes de Rivers e muitos veem Hines assumindo um papel similar no ataque esse ano. Eu não acho que será nesse nível, mas muito parecido com o que Danny Woodhead teve nos dois anos que jogou com Rivers e não se machucou. Em 2013, Woodhead recebeu 76 bolas, para 605 jardas e 6 TDs e em 2015 80/755/6. Apenas com esses números, sem uma corrida sequer, um RB ficaria no Top-24, ou seja, seria um RB2 em ligas PPR.

Wide Receivers

Jamison Crowder – Jets (9.06)

MIAMI, FLORIDA – NOVEMBER 03: Jamison Crowder #82 of the New York Jets makes a one handed catch against the Miami Dolphins in the first quarter at Hard Rock Stadium on November 03, 2019 in Miami, Florida. (Photo by Mark Brown/Getty Images)

O ataque dos Jets em 2019 teve inúmeros problemas, a começar com a ausência de Sam Darnold por 3 jogos, uma fraca linha ofensiva e, principalmente, Adam Gase, ainda assim Jamison Crowder foi o 24º jogador com mais recepções e terminou como WR26 em ligas PPR. Nesse ano Crowder está sendo subvalorizado e é o WR41 nos drafts.

Crowder conseguiu esses números em 2019 tendo que disputar bolas com Robby Anderson, um WR com quase 100 alvos, Demaryius Thomas e Ryan Griffin, além de ter Luke Falk como QB por 3 jogos. Pegando seus números nos 13 jogos com Sam Darnold e extrapolando para 16 jogos, ele terminaria com 86 recepções para 933 jardas e 7 TDs, o que o faria WR18 com uma média de 14 pontos por jogo.

Em 2020 o depth chart tem, além de Crowder, Breshad Perriman, que tem uma lesão no joelho e só teve 4 bons jogos em sua carreira de 5 anos, o calouro Denzel Mims, com uma lesão na posterior da coxa que o impede de treinar, e Braxton Berrios (Who?). A situação é tão ruim que os Jets assinaram com Chris Hogan semana passada para ter pelo menos um WR capaz para treinar com os titulares.

Portanto, nas primeiras semanas, o ataque aéreo dos Jets deve ser o Jamison Crowder show feat. TEs e RBs. Crowder deve ser um enorme steal no Draft de 2020, mesmo em ligas não-PPR.

Anthony Miller – Bears (11.09)

SANTA CLARA, CA – DECEMBER 23: Anthony Miller #17 of the Chicago Bears celebrates after scoring against the San Francisco 49ers during their NFL game at Levi’s Stadium on December 23, 2018 in Santa Clara, California. (Photo by Thearon W. Henderson/Getty Images)

Antes de começar a temporada de 2019, eram altas as expectativas quanto a utilização de Anthony Miller no ataque dos Bears, no entanto uma torção no tornozelo na segunda semana de agosto o tirou de quase todo o training camp. Como resultado sua produção no começo do ano foi bem pequena.

Depois do começo difícil à medida que foi ganhando condicionamento, seu envolvimento foi aumentando, mas, nas nove primeiras semanas, Miller chegou a marca de 5 jogos apenas 1 vez. A partir do décimo jogo, Anthony Miller começou a ser acionado com regularidade e começou a responder.

Da semana 11 a semana 15, o segundanista dos Bears se tornou uma máquina de PPR, recebendo em média 6.6 bolas por jogo, com no mínimo 11.4 pontos nesses jogos. Nos últimos dois jogos, Miller caiu de produção de novo, recebendo uma bola na semana 16 e saindo lesionado na última rodada.

Para o ano de 2020 eu espero que Anthony Miller tenha o ano que esperávamos em 2019, seja parte importante do ataque dos Bears. Miller deve superar e muito o posto de WR50 em que está no draft.

Allen Lazard – (12.01)

DETROIT, MI – DECEMBER 29: Allen Lazard #13 of the Green Bay Packers catches a fourth quarter touchdown pass in front of Darius Slay #23 of the Detroit Lions at Ford Field on December 29, 2019 in Detroit, Michigan. (Photo by Rey Del Rio/Getty Images)

Poucos já tinham ouvido falar de Allen Lazard antes do Monday Night Football, quando, cansados dos drops dos outros WRss, Green Bay deu-lhe uma oportunidade e ele respondeu recebendo bolas importantes, incluindo 1 TD digno de Top-10 do SportsCenter. Após esse jogo Lazard passou a fazer parte da rotação regular dos WRs do Packers e terminou o ano com a confiança de Aaron Rodgers.

Nesse pré-temporada, quando todos esperavam que os Packers fossem adicionar um WR na free agency ou no Draft; o time só assinou com Devin Funchess e não draftou nenhum jogador pra posição. Pior ainda, perdeu Geronimo Allison para os Lions e Funchess decidiu não jogar a temporada por conta da COVID.

Essa falta de movimentação na posição mostra uma confiança nos jogadores do elenco, reforçada por declarações de Rodgers a respeito de Lazard. Ter o apoio do seu QB é ótimo para o WR, já que é ele quem vai te passar a bola, especialmente se tratando de Aaron Rodgers.

Desde 2012 o segundo melhor WR dos Packers tem média de 12.1 pontos por jogo, isso considerando o ano passado em que essa média foi de 5.7 do próprio Lazard. O que pode ser um fator contra é a vontade do time de querer correr mais com a bola, como foi no ano passado, mas isso depende muito de como o jogo transcorre.

Quando o time está a frente do placar os times tendem a correr mais com a bola para queimar o relógio, o que foi feito pelos Packers em 2019. Mas ao contrário das 13 vitórias do ano passado, Las Vegas espera que Green Bay vença apenas 9 jogos no ano, o que significaria mais situações de passe para Rodgers e seus WRs.

Preston Williams – Dolphins (12.03)

ORCHARD PARK, NEW YORK – OCTOBER 20: Preston Williams #18 of the Miami Dolphins attempts to catch the ball as Levi Wallace #39 of the Buffalo Bills defends him during the fourth quarter of an NFL game at New Era Field on October 20, 2019 in Orchard Park, New York. The pass was ruled incomplete. (Photo by Bryan M. Bennett/Getty Images)

Preston Williams não foi draftado por nenhum time em 2019 e acabou recebendo uma chance com os Dolphins. Ele foi tão bem na pré-temporada que Miami não só lhe deu um espaço no elenco, como ele se tornou uma arma importante do ataque até sua lesão na semana 9.

Até sua lesão Preston Williams era o líder do time em alvos, recepções e jardas no ataque dos Dolphins e tinha apenas um TD a menos que DeVante Parker. Foi apenas com sua ausência que Parker e Mike Gesicki estouraram como opções viáveis para o fantasy.

Como já falado anteriormente na seção do Matt Breida, Miami deve ser um dos piores times da NFL, o que fará com que o time use muito o ataque aéreo, dando oportunidade para Williams e seus companheiros de ataque. Com as decisões de Allen Hurns e Albert Wilson não de não jogar na temporada, as opções serão ainda mais restritas.

Golden Tate – Giants (13.01)

EAST RUTHERFORD, NEW JERSEY – NOVEMBER 04: Quarterback Daniel Jones #8 of the New York Giants blocks free safety Xavier Woods #25 of the Dallas Cowboys for wide receiver Golden Tate #15 as he carries the ball in the second quarter of the game at MetLife Stadium on November 04, 2019 in East Rutherford, New Jersey. (Photo by Elsa/Getty Images)

Os três WRs dos Giants são ótimos valores e poderiam estar aqui. Eu escolhi Golden Tate, pois ele é o último a sair nos drafts e por ele jogar mais no slot ele é muito consistente em ligas PPR.

O ataque dos Giants tem tudo para dar um salto no segundo ano de Daniel Jones como comandante e os três titulares WRs que retornam pra mais um ano. Agora o QB está tendo todos os treinos com os titulares, ao contrário de dividir com Eli Manning.

Daniel Jones demonstrou muita confiança em Golden Tate no ano passado: de nove jogos o WR recebeu menos que 5 bolas em apenas três vezes. Nesses nove jogos, Tate teve médias de 68 jardas por jogo e recebeu 5 TDs. Nessa temporada os Giants terão a volta de Evan Engram que pode tirar um pouco das recepções do meio do campo do WR, mas ainda assim como o WR56 na 13ª rodada ele é um tremendo valor.

Tight Ends

Jonnu Smith – Titans (13.08)

BALTIMORE, MARYLAND – JANUARY 11: Jonnu Smith #81 of the Tennessee Titans catches a touchdown over Brandon Carr #39 of the Baltimore Ravens in the first quarter of the AFC Divisional Playoff game at M&T Bank Stadium on January 11, 2020 in Baltimore, Maryland. (Photo by Will Newton/Getty Images)

No começo de 2019, Jonnu Smith era reserva de Delanie Walker e com uma papel limitado no ataque dos Titans, já que o veterano dominava as recepções dos TEs. Isso aconteceu até a semana 6, quando Walker sofreu lesão que o tiraria de ação pelo restante da temporada. Com isso, Smith assumiu o posto de principal TE do time e se saiu muito bem.

Jonnu Smith teve médias de 3.2 recepções, 38 jardas e 0.33 TDs nos 9 jogos em que foi titular, além de ter algumas corridas em jogadas mais criativas. Isso significou 9.7 pontos por jogo no período e a posição de TE13 nas nove semanas. Começando o ano como titular e com mais um ano de treinamento com Ryan Tannehill, o papel de Smith só tende a crescer.

Chris Herndon – Jets (13.10)

Após uma boa temporada como calouro em 2018, as expectativas para 2019 eram bem altas para Chris Herndon, entretanto antes mesmo de começar a campanha, o TE recebeu uma suspensão que o tiraria das quatro primeiras partidas temporada. Quando acabou a suspensão ele sofreu duas lesões que o tiraram da temporada com apenas 1 partida. Após a decepção agora vem mais uma vez a expectativa, porém para nós com um desconto. Depois do pífio 2019, Herndon agora é o TE17 e sai na 13ª rodada e pode ser um bom valor.

O jogo dos Jets de Adam Gase usam bastante o TE, o que é evidenciado pelos números de Ryan Griffin, o TE que herdou o posto de titular com a ausência de Herndon. No período da semana 5 até a semana 13, enquanto Sam Darnold e Ryan Griffin estiveram em campo, o TE dos Jets foi o 10º melhor no fantasy com média de 10.1 pontos por jogo.

Considerando a falta de alvos no ataque e capacidade de Herndon, podemos esperar ainda mais do que o feito por Griffin. O TE dos Jets é um dos meus alvos em drafts em que não pego nenhum dos tops da posição. Saindo tão tarde no draft e com um teto de TE1, Herndon pode ser o que Darren Waller foi no ano passado, de não draftado para Top-5.

Esses são alguns dos nomes que acho ótimas opções no fim do draft. É bom ter algumas opções para o fim do draft e assim não ficar muito perdido: Daniel Jones, Chris Thompson, Bryce Love, Parris Campbell, John Brown e Blake Jarwin.

Não draftem defesa e Kicker com muita antecedência, pensando que irão ter alguma vantagem, encham seu time de jogadores das posições e peguem e pegue as opções que sobrar.

Mais detalhes na ineficácia das defesas no draft vocês podem encontrar aqui https://brffootball.com.br/2020/08/29/de-um-sack-draft/.

Boa sorte nos seus drafts! Se você tiver alguma dúvida ou quiser alguma ajuda com seu draft é só entrar em contato pelo meu Twitter, do BrFF ou deixar um comentário aqui.

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.